[RESENHA] UM AMOR PARA LADY JOHANNA - JULIE GARWOOD

quinta-feira, 13 de julho de 2017



TÍTULO ORIGINAL: Saving Grace
TRADUÇÃO: Cely Couto
PÁGINAS: 400
EDITORA: Universo dos Livros
EDIÇÃO:
IDIOMA: Português
ISBN-10: 8550300810
ISBN-13: 978-8550300818
TAMANHO: 22,8 x 15 x 2,8 cm
PESO: 399 g
EDITORA: Universo dos livros 
SKOOB: CLIQUE AQUI

SINOPSE: Uma jovem viúva. Um guerreiro escocês fascinante. Duas vidas transformadas pelo amor e por uma paixão avassaladora.

Quando Lady Johanna soube que estava viúva, ela prometeu que jamais se casaria novamente. Com apenas dezesseis anos, ela já possuía uma força de vontade que impressionava a todos que enxergavam além de sua beleza avassaladora. 

Contudo, quando o Rei John ordenou que ela se casasse outra vez – e selecionou um noivo para ela – pareceu que a moça deveria se conformar com esse destino. Seu irmão, no entanto, sugere ao Rei um novo pretendente:o belo guerreiro escocês Gabriel MacBain. No início, Johanna estava tímida, mas, conforme Gabriel revelou com ternura os prazeres magníficos a serem compartilhados, ela começou a suspeitar que estava se apaixonando por seu novo e rude marido. Logo ficou claro para todo o clã das Terras Altas, portanto, que o ríspido e galante lorde rendera completamente seu coração. Porém, a iminência de uma intriga da realeza ameaça separar o casal e destruir o homem que ensinou a Johanna o significado do verdadeiro amor, que a transportou além de seus sonhos mais selvagens.

RESENHA


Fiquei um tempo sem publicar resenhas, pois são tantos livros do gênero de época disponíveis, que tive que dar um tempo para atualizar a pilha de leitura.  Antes de qualquer coisa, não é uma reclamação, é apenas uma observação. Todas nós leitoras do gênero, passamos muita “fome de leitura”, lembro da época que mendigávamos para editoras publicar romances do gênero de época,  tempos das trevas. Agora temos uma fartura, que talvez tenhamos que fazer uma “dieta literária” rsrsrs. Que óbvio que não farei... prefiro ficar acima do peso. rsrsrs 

E para comemorar a excelente safra das publicações de livros de época, temos o retorno de uma das principais autoras do gênero de época medieval, Julie Garwood pela Editora Universo dos Livros. Sim, retorno porque a autora em meados de 2009 teve quatro livros do gênero (um desses livros, Esplendor da Honra, foi republicado pela Universo), além de uma série policial contemporânea publicados  por outra editora.


O livro da resenha, Um Amor para Lady Johanna, é inédito no Brasil e bastante aguardado pelas fãs da autora, tem todos os ingredientes que fazem amar em um livro de época, e o toque de Julie Garwood para descrever tanto a narrativa quanto os personagens, torna o livro inesquecível.

Lady Johanna, um jovem viúva, que apesar da perda, não tem motivos para sentir falta do marido, ou seria melhor defini-lo como carrasco, pois fez Johanna uma mulher assustada, insegura e com baixa estima. Mas naquela época viúvas que tinham maridos ligados diretamente ao rei,  eram obrigadas a casar novamente, e a escolha era feita pelo rei, já que não gostaria de perder aliados e terras, e nesse caso rei John tinha mais um motivo para escolher um marido para digamos controlar Johanna.
Mas o rei como casamenteiro não tinha futuro, o irmão de Johanna, Barão Nicholas Sanders (adoro esse nome) intercedeu e escolheu um pretendente melhor para a irmã, pelo menos por mais que fosse arranjado e não existia amor, sabia que o guerreiro escocês Gabriel MacBain, não a maltrataria.
Nicholas conheceu Gabriel MacBain durante uma batalha para defender o Clã MacLaurin de invasores, que depois foi herdado por Gabriel, mas na verdade Gabriel não se sentia confortável com essa aproximação, pois se suspeita que o ex-marido de Johanna foi responsável pelas invasões, ou seja, existia uma tensão no ar, principalmente com a possibilidade de Johanna vir a casar com MacBain. E somado a tudo isso Nicholas era inglês e Gabriel escocês, só por isso já era motivo de disputa sem razão nenhuma. Rsrsrs

Inicialmente Gabriel não aceita por todos os motivos explicados acima, porém casando com Johanna, ele conseguiria apoio do rei evitando novas invasões nas suas terras, pois já está com problemas demais evitando enfrentando de dois clãs em seu comando. Além de ter uma mulher bastante atraente como sua esposa.

Johanna inicialmente não gostou muito da opção, apesar de Gabriel ser um homem belo, ela se sentia ameaçada com qualquer possibilidade de outro casamento torturante. Problemas divertidíssimos começaram na cerimônia de casamento, leram bem foi divertidíssimo. Pois os medos de Johanna, na forma como a autora expõem, através da personagem, deixam as cenas de comoventes a cômicas, o que torna a leitura bastante agradável.

Mas Gabriel apesar de ser carrancudo, mas consegue ser um homem amável, e consegue perceber os medos de Johanna, e vai a conquistando aos poucos, deixando Johanna mais segura, o que nos livros da Julie, quando uma personagem sente-se segura depois de época de abusos, posso se tornar perigosa, no sentindo mais divertido da palavra. Tenho certeza que algumas irão ficar com pena do Gabriel. Rsrsrs

Johanna também modifica a vida de Gabriel, ou revoluciona, melhor dizendo. Primeiro despertando sentimentos dele devido aos cuidados que ela tem com o filho bastardo de Gabriel, e depois pela transformação de Johanna, de uma moça assustada para uma mulher sensual  que  até começou usar algumas artimanhas para acalmar o guerreiro, além de enfrentá-lo para defender suas posições quando necessário.

A mudança de Johanna, ou melhor, o resgate da mulher forte que sempre existiu nela, e o surgimento do amor entre ambos é visto de forma crescente no decorrer da leitura. Julie consegue intercalar momentos românticos idílicos e sensuais que deixam as cenas apaixonantes.

Porém esses momentos serão interrompidos pelos segredos que Johanna guarda referentes ao rei, que para assegurar que nunca serão revelados será capaz de trazer fantasmas do passado

Conclusão
Sou muito suspeita em falar de Julie Garwood, para mim ela é uma das melhores autoras do gênero época medieval. Tem uma trama elaborada, mesmo não se baseando em muitos fatos históricos, mas sempre terá personagens históricos como base da narrativa dos seus livros. Os personagens da autora, principalmente as mulheres, são mulheres que superam abusos e adversidades da vida, mas sempre intercalando emoção, humor e romance.

Os homens por mais que sejam guerreiros grandes e carrancudos, são amorosos e pacientes, porque quando a protagonista cria força, com ela vem à confusão, e esses momentos são bastante divertidos. Sério, dá pena dos fortões. 

Para leitoras que gostam de época, mas nunca se aventuraram em medievais, tenho certeza que irão amar os livros da autora, vale a tentativa. E as que já curtem medievais, irão colocar os livros de Garwood com toda certeza na sua interminável lista.

Julie Garwood, uma autora que consegue fazer o leitor rir, emocionar, apaixonar... e  no caso de Um amor para Lady Johanna, ver o sofrimento masculino... rsrsrs
 
Outro livro publicado da Julie Garwood...
Na corte inglesa medieval, a amável lady Madelyne sofre com os caprichos de seu perverso irmão, o barão Louddon. Para se vingar de um crime revoltante, o barão Duncan ataca as terras de Louddon com seus guerreiros. Madelyne foi o prêmio que ele capturou, porém, ao contemplar a orgulhosa e bela dama, ele jura arriscar sua vida para protegê-la. Apesar de seu tosco castelo, Duncan demonstra ser um gentil cavalheiro. Mas quando, afinal, a nobre paixão domina a ambos, Madelyne se entrega com toda a alma. Agora, por amor, Madelyne enfrentará qualquer coisa, tão corajosamente quanto seu senhor, o poderoso e combativo Lobo.

E os próximos livros publicados da autora... sem previsão




0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!