[RESENHA BAFÔNICA] Confira o que achei sobre o polêmico The Wild de K. Webster

domingo, 27 de agosto de 2017

THE WILD
K. Webster

"Eu as levei para a vida selvagem porque não podíamos mais viver na nossa realidade. O plano era recomeçar nossa vida na qual não incluísse um coração partido.
Sem pessoas. Sem tecnologia. Sem interferência.
Apenas nós.
Uma chance de tentar juntar o que estava quebrado.
Mas a vida selvagem é indomável e rigorosa.
Brutal e implacável.
Não dá a mínima para os seus sentimentos.
A tragédia também vive lá.
Sem escapatória das verdades que não deixam você livre.
Tudo o que você pode fazer é sobreviver onde o amor, não importa o quão bestial, é a única coisa na qual você pode contar.
Confuso. Errado. Belo. Doentio.
O amor é selvagem.
E nós vamos libertá-lo."


Já faz algumas semanas que estou acompanhando o movimento nas redes sociais e a comoção nos grupos de leitores tanto aqui no Brasil, quanto lá fora a respeito do livro The Wild da K. Webster que acabou tendo a sua distribuição suspensa na Amazon e em outras plataformas digitais por conter temas tabus muito polêmicos. Então, depois de aguçarem muito a minha curiosidade com muito mimimi e discuções, fui ler e ver do que se trata.

Tenho a dizer que esta resenha contém muitos spoilers do livro, assim como vou falar abertamente sobre todos os temas encontrados durante a leitura, sem medir palavras ou lapidar qualquer colocação, inclusive utilizando algumas palavras de baixo calão (coisa que não costumo utilizar em resenhas) e piadas nem um pouco politicamente corretas para ilustrar minhas opiniões sobre os temas abordados. Então, se resolver continuar lendo a partir deste ponto, é por sua conta e risco.


Depois que a tragédia assolou a família de Reed à sete anos, ele luta para juntar os cacos do que sobrou.
Com sua mulher em depressão profunda após a perda de um dos filhos e Devon, sua filha de dezesseis anos que é o seu mundo, Reed parte para as terras remotas do Alasca, onde juntos irão construir uma cabana e reaprender a viver como uma família.

Até agora estou sem entender o porque de tanta polêmica. É lógico que praticamente 98% do tempo de leitura deste livro a trama fala sobre a relação incestuosa entre Reed e sua filha Devon de apenas 17 anos.

Desde o início do livro já sacamos a proximidade entre eles, principalmente após a perda do filho com apenas 10 anos que era irmão gêmeo de Devon. A depressão da mãe acabou criando um abismo entre ela e o marido, resultando na dedicação total do tempo dele à filha.

Com o tempo vamos vendo esta relação mudando, mas ainda assim, vemos o empenho de Reed para fazer a coisa certa e amar sua família, principalmente sua filha da maneira correta para que todos encontrem a felicidade novamente. O problema é que logo a tragédia se abate sobre eles novamente e sozinhos em um lugar remoto, isolados de tudo e de todos tentando sobreviver os sentimentos antes reprimidos, passam a correr soltos e com maior intensidade.

E bem de boa, a guria tá com um fogo na piriquita que não pode nem ver o pai mais na frente que ela quer se jogar no homem, e nem espera o corpo da mãe esfriar para isso!!

E aí lá vamos nós com os dois trepando intensamente no meio do mato o tempo todo com cenas alucinantes que valem queimar umas 3 calcinhas durante a leitura...kkkkkkkk

Meu parecer quanto à polêmica sobre The Wild: tosquice da Amazon!!! Too Late da Colleen Hoover tem cenas muito mais pesadas!! Sério...achei a trama muito no sense...mas só. Esperava alguma coisa dark mega séria...mas tirando a putaria e aquela cena sem noção antes do parto, não vi nada de mais!

Proibido da Tabitha Suzuma é muito mais pesado e com certeza emocionalmente devastador do que The Wild.

A trama é extremamente rasa e confusa. Com situações completamente desnecessárias como foi o caso dos mal acabados que apareceram do nada invadiram a casa deles fizeram a treta toda e voltaram por onde vieram.Isso sem falar daquela maldita cena pré-parto, fala sério gente...a mulher tá tendo contrações correndo irritada no meio do nada, que a relação deles foi construída baseada em mentiras (porque transar com o pai está tudo bem, mas ele mentir pra ela não) é interceptada pelo "homi das cavernas dela", fodida com muita força e logo depois bota a criança pra fora. **MORRI DE RIR NESSA SEQUÊNCIA SEM NOÇÃO!!****

Vão achar que eu sou louca, ficar escandalizados, mas gente...a criança nasceu e eles apavorados querendo saber porque o pobrezinho não chorava...eu só conseguia rir e pensar que o pobre inocente estava afogado com a porra do pai que tava fodendo a guria uns minutos antes...kkkkkkkkkkkk

Na minha opinião, The Wild é equiparado à Priest da Sierra Simone no quesito qualidade e impacto, ou seja, o livro é de quinta, mas a putaria é de primeira. E é só!! 

estrelinhas choradas!!!

3 comentários

  1. kkkkkkkkkkkkk. Ri demais da última parte da resenha e fique super curiosa. O "bebê afogado"é filho do avô ou do outro? Não curto e não tenho interesse nesse tipo de abordagem, mas curti sua resenha.Vai entender?! Li sobre essa polêmica, mas penso como você, temos mto outros títulos mais pesados com esse tema.

    ResponderExcluir
  2. 😂😂😂😂😂😅

    Gente!!!!!!
    O livro só tem sacanagem e nenhum conteúdo.
    Ri muito com a sua resenha. Minha filha perguntou aqui se estou pirando.
    E a parte em que nos conta que " a guria tá com um fogo na piriquita que não pode nem ver o pai ". Foi hilária!!!! Rsrs

    Li Proibido,que foi uma história verdadeiramente densa e triste também. E com muito conteúdo.


    Me diverti muito com tudo que disse. E adorei a sua sinceridade! 😉

    ResponderExcluir
  3. Oi Sheila,
    Posso estar meio viajando mas não tinha escutado falar desse livro e dos rumores, mas confesso que não me agradou nem um pouco a tal história também. Para mim com certeza isso não ia rolar, sei que temos muitas histórias de parentes se pegando por aí, mas eu não acho isso legal (ainda estou tentando entender a relação do John e da Dany no GOT) imagina ao se tratar de pai e filha. Obrigado mas não é meu tipo de leitura não, mas gostei de saber sobre o que se tratava e parabéns pela sinceridade na resenha. Valeu a pena conhecer.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!