[RESENHA] O verão em que tudo mudou - Faro Editorial

sexta-feira, 25 de agosto de 2017


Há uma parte sobre a qual não temos controle. A vida se modifica o tempo todos e a gente vai se ajustando da forma que parece melhor naquele momento. Não dá para decidir tudo com tanta antecedência. Os caminhos vão criando bifurcações, e as vezes, quando nos damos conta, já estamos seguindo por um lado completamente diferente do planejado. 
O verão em que tudo mudou é um livro que chama primeiro a atenção por ter um design super fofo, capa linda e ilustrações internas. Quer melhorar o pacote? O livro é escrito por três autores nacionais, onde cada um dá voz a um personagem em uma história diferente. São, portanto, três histórias, que se ligam de forma discreta e natural.

Frederico é o personagem principal da primeira história (escrita por Vinicius Grossos). Fred, como prefere ser chamado, é um jovem sem perspectivas de futuro e sem sonhos. Sim, ele está acomodado à vidinha pacata e sem graça. Sua vida dá uma virada quando em uma véspera de natal, após fechar a livraria onde trabalha, uma menina doida aparece para devolver um exemplar do Pequeno Príncipe. Sem nada o que fazer o que fazer na véspera de natal, Fred decide ajudar a menina doida ~ Valentina ~ com um pedido inesperado. Os dois então embarcam em uma aventura de uma noite, onde Fred começa a se questionar sobre sua própria vida e quem sabe, encontrar um rumo para algo que ele já considerava como perdido.

Lavínia, a destaque da história número dois (de Gabriela Freitas), deveria estar muito feliz, afinal ela realizou seu sonho: entrou para a faculdade de arquitetura. Mas em meio à comemoração de seus pais, ela percebe que talvez esse não seja o seu sonho, e sim, o deles. Se não é isso que a faz feliz, então o que é? Para responder essa pergunta, a garota decide que precisa viajar e se desligar um pouco de tudo, a fim de se reencontrar. O destino perfeito? Búzios e a pousada da dona Olga. No paraíso de Búzios, Lavínia conhece Cauê, um jovem moreno charmoso que mexe com seu coração mais do que deveria. O lema de Lavínia passa ser não dizer mais “não” para as coisas antes de experimentá-las. Mas principalmente, manter-se viva, que foi o pedido de alguém muito especial na sua vida, um pedido que a garota quase esqueceu de ouvir. 31 dias para se redescobrir, para viver intensamente e encarar a vida que ela deseja.


A última história (escrita por Thais Wandrofski) traz Sol, a irmã gêmea super organizada de Stela. Percebendo que faltam poucos dias para suas férias terminarem, Sol decide fazer um cronograma de atividades e seguir a risca toda a programação, levando consigo sua irmã e sua melhor amiga. Em meio há esses dias corridos, Sol recebe um SMS por engano, de alguém chamado apenas de T. Os dois passam a conversar com mais frequência, mas sem se conhecerem muito bem e sem saírem das mensagens. Em paralelo a isso, Sol acaba brigando com sua amiga, e por consequência, percebe pela primeira vez na vida os seus próprios erros. A partir daí, Sol decide ser uma pessoa melhor e não olhar para seu próprio umbigo. Novas amizades, novas atividades, bons conselhos, solidariedade para com os outros. Uma nova Sol pode surgir em meio a tantas estrelas (referência para quem ler o livro!).


Cada história tem cerca de 100 páginas. São história curtinhas, super fofas e leves, daquelas leituras que te deixam flutuar mas ao mesmo tempo trazem questionamentos profundos. Além disso, estão dispostas em ordem cronológica, o que facilita a gente na hora de conectar os fatos e pontos dos personagens. 

As histórias da Lavínia e da Sol foram as que que eu mais gostei, especialmente a da Lavínia e a sua questão de se reencontrar (eu me conectei com ela, pois eu tive um momento na minha vida que eu decidi parar para analisar o que eu realmente gostava e queria, e bem, não posso negar que ainda passo por momentos assim, onde eu busco, inclusive, experimentar coisas novas antes de dizer o tão famoso não). 

Acho que a história do Fred passou um pouco rápida demais ~ durou cerca de um dia apenas~ e por isso eu não consegui criar um laço leitor-personagem. Achei alguns acontecimentos rápidos demais e meio imaginativos demais. Mas foi, também, uma história muito fofa e com certa lição de moral.

Não vou estragar a magia e contar para vocês a ligação entre os três personagens, pois eu quero que vocês leiam esse livro incrível e deliciem-se como eu fiz!





Ótimo! 


O verão em que tudo mudou | Vinícius Grossos, Thais Wandrofski, Gabriela Freitas
ISBN:9788562409929 | Ano: 2017 | Páginas: 304 | Editora: Faro Editorial | Adaptação cinematográfica: Não 






 Me acompanhe nas redes sociais: facebook | instagram | skoob | twitter

1 comentários

  1. Olá,sem dúvida alguma o livro é uma graça. Com cores vibrantes que chamam a nossa atenção.
    Já vi algumas fotos do interior do livro,e fiquei encantada!

    Mas o que me faz ter vontade de ler principalmente ,é por se tratar de contos.
    Por serem histórias curtas ,gosto de ler entre uma leitura e outra.Principalmente histórias como essas que são leves e reflexivas.

    Adorei!
    Bjs. 😊

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!