[RESENHA] Enquanto Houver Tempo - Paola Scott - @thegiftboxbr

domingo, 21 de janeiro de 2018


Enquanto Houver Tempo
Autora: Paola Scott
Ilustrador: Franggy Yanez
Fotógrafo: Stuart Reardon
Editora: The Gift Box
ASIN: B078YY1L35
Compre: eBook AMAZON

Sinopse:
“Dizem que a vida inteira passa diante dos seus olhos quando você está morrendo. Porém, o que não dizem, é que a vida que não viveu também te atinge em cheio nesse momento.

Dor...

Medo...

Arrependimento...”

Dante, um respeitável homem de negócios, é obrigado a dar uma pausa no ritmo frenético no qual vive. Por sugestão da irmã, viaja para um lugar com hábitos totalmente diferentes aos quais está acostumado. E quando o tédio e desânimo parecem abater esse workaholic, uma pessoa o fará repensar o modo de enxergar a vida.

Gaia vive para a terra, para o cultivo das maçãs e para os seus animais de estimação. Com a filosofia de viver cada dia como se fosse um novo presente da vida, essa mulher de expressão serena desperta o interesse no homem refinado, porém deslocado, que chega à região.

De repente, ambos parecem se completar.

Enquanto houver tempo, é possível mudar o rumo de duas vidas?



Muito bom!!!
Olá leitores!! Hoje eu trouxe para vocês as minhas impressões quanto ao badaladíssimo "Enquanto Houver Tempo" da Paola Scott em parceria com a The Gift Box.

Este é o primeiro livro que eu leio da autora e realmente ter o queridíssimo Franggy Yanez como avatar acabou contribuindo ainda mais para atiçar a minha curiosidade. Então, assim que o livro estava disponível na Amazon, não tive dúvidas e já tratei de pegar!!

Enquanto Houver Tempo nos traz a história do workaholic Dante, que com sua vida atribulada num dos maiores centros financeiros do mundo, acaba por ver sua vida tentar escapar por entre os dedos durante um ataque cardíaco aos 37 anos, devido ao ritmo frenético e sem sentido de seu dia a dia.

Obrigado a desacelerar, Dante busca na serra Catarinense um refúgio para tentar sair da rotina frenética, acalmando o coração e restaurando o corpo após o susto.

Foi muito bom ver uma história ambientada no Sul do país, e embora eu seja do RS, ver as mesmas comidas típicas e costumes da colonização alemã me trouxe uma sensação de familiaridade.

Paola Scott retratou muito bem os cenários da serra Catarinense, proporcionando ao leitor uma verdadeira imersão á vida do campo nas propriedades pitorescas da região. 

Juntamente com Dante no encantamos pelas cores e sabores Catarinenses.

Paola nos brindou com um romance delicioso como as maçãs do sítio de Gaya, a mulher do campo que encantou o coração de nosso maravilindo Dante, e com seu jeito simples de apreciar a vida, abriu seus horizontes para apreciar o entorno, desacelerar o cotidiano e apreciar as coisas mais simples da vida.

A narrativa da autora é limpa e fluída, onde pegamos o ritmo rapidamente nos entregando à leitura e ao convívio destes personagens tão cativantes.
Não era algo apenas visceral. Era muito mais profundo e difuso, de contornos obscuros e amplamente arraigados.
Mesmo assim, sou um pouco como Dante antes do "despertar" por assim dizer e tanta maçã ou coisas relacionadas à maçãs inseridas por Paola durante a narrativa acabaram me cansando e irritando um pouco. Principalmente quando o livro todo é passado no Brasil e do nada surge um apelido carinhoso em inglês também relacionado à comida com maçãs.

Apesar deste pequeno parêntese, a escrita da autora é muito boa. Envolvente e deliciosamente sexy, a história de Gaya e Dante é tocante, nos fazendo repensar o nosso cotidiano e rever algumas de nossas prioridades na vida.

Não temos controle sobre o tempo, mas temos sobre o que podemos fazer com ele.
Tenho a dizer que a diagramação e arte deste livro são uma atração à parte e ter Franggy Yanez enfeitiçando meu olhar a cada novo capítulo foi um bônus super bem vindo!!!

Leitura mais do que recomendada!!! Não vejo a hora de ler o livro de Fevereiro da The Gift Box!

Fecho esta resenha com um quote que reflete bem o meu momento na vida e a importância que colecionar bons momentos tem para mim atualmente. 
Dizem que a felicidade é feita de momentos. E concordo plenamente. Eu tinha vários deles na memória, cada qual com sua escala de intensidade. Todos tinham seu grau de importância e eu sabia que jamais haveria outro igual a um já vivido. Por isso eu valorizava cada novo instante. Deixava que a sensação de euforia, vigor e alegria me invadissem, criando novas lembranças e emoções.

2 comentários

  1. Ahhh adorei tuas impressões Sheila! !!
    AMO o blog!!! Ótimo saber que gostou!!!
    Bjs e até a próxima!!!

    ResponderExcluir
  2. Que bom saber que gostou dessa história, Sheila. Obrigada por tirar um tempinho para conhecer minha escrita e por compartilhar sua opinião! Bjsss

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!