[RESENHA] UM BEIJO À MEIA -NOITE (SÉRIE CONTOS DE FADAS #1) - ELOISA JAMES

domingo, 25 de fevereiro de 2018


Título original: A Kiss at Midnight
Tradução: Livia Almeida
Formato: 16 x 23 cm
Número de Páginas: 272
Peso: 0.41 kg
Acabamento: brochura
ISBN: 9788580417784
EAN: 9788580417784

Leia um trecho: https://goo.gl/VbCeXB 

Sinopse: “Eloisa James é extraordinária.” – Lisa Kleypas

“Eloisa James sempre nos leva a suspirar, sorrir e nos apaixonar.” – Julia Quinn

“Um romance incrível.” – People

Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo.

Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo.

Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo.

Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela. Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal.

RESENHA...

Um Beijo à Meia-Noite, primeiro livro da série Contos de Fadas da autora Eloisa James publicado pela Editora Arqueiro. A série composta por 5 livros, e cada um deles uma releitura de contos de fadas.
A editora publicou anteriormente o segundo livro da série, Quando a Bela domou a Fera aproveitando o lançamento do filme na época. E depois publicou, Um Beijo à Meia-Noite, que pelo nome já podemos adivinhar ser uma releitura de Cinderela. Os livros da série são completamente independentes entre si, não importando a ordem de leitura. 

Eloisa James é uma autora incomparável, Mesmo tendo alguns livros escritos em parceria com Julia Quinn, além da grande amizade entre elas. As duas autoras tem escritas completamente diferentes. Eloisa tem um estilo peculiar, com todos os ingredientes de um bom romances de época, porém com algo mais que a diferencia de outras autoras.

E você fica pensando... “-Poxa mais uma releitura da Cinderela?!?!?” Mas Eloisa James sempre consegue inovar. Mesmo a premissa sendo a mesma, mas o contexto diferente tornando original Um Beijo à Meia-Noite.

A protagonista e a Cinderela da vez, Katherine Daltry (Kate), não é nada angelical, doce e meiga. Pelo contrário, dona de uma personalidade forte e tempestuosa, ela gerencia a propriedade do falecido pai, pois se depender dos gastos da madrasta, Mariana, com a filha Victoria, eles estariam na miséria.

Talvez a única semelhança com a Cinderela original, é a bondade. Kate se preocupa com o bem estar dos seus arrendatários e empregados da propriedade, pois se não fosse por eles, ela já teria ido embora e não ficaria aguentando as ideias e atitudes estapafúrdias de Mariana.
Uma destas ideias é de substituir Victoria por Kate em um evento. Victoria está comprometida com o sobrinho do Príncipe, e eles precisam do consentimento dele para o casamento. Porém Victoria está impossibilitada de ir, e para não perder a oportunidade, além de certa urgência para o casamento, Kate acaba aceitando... Mas qual a possibilidade disso dar certo?!? Dependendo do ponto de vista... quem sabe um príncipe apaixonado, não seria uma má ideia...

Gabriel Augustus-Frederick (tem mais...) William von Aschenberg (ainda não acabou...) of Warl-Marburg-Baalsfeld (ufa!!!agora acabou...), ou simplesmente Gabriel, o príncipe. E concidentemente esta passando por um problema semelhante de Kate. Ele está passando por problemas financeiros e também não irá virar as costas para as pessoas que dependem dele, terá que casar com uma princesa russa, que ele ainda não conhece para salvar o castelo e seu povo.
Sedutor e charmoso são características infalíveis para conquistar uma mulher, menos Kate. Digamos que o primeiro contato não foi satisfatório. Kate o achava presunçoso e arrogante. Enquanto ele a achava instigante e enlouquecedora.

Mas ele precisava de uma mulher que não tivesse sentimentos envolvidos, além de muito dinheiro para salvá-lo financeiramente e libertá-lo para investir no seu sonho de explorar cidades antigas para encontrar artefatos históricos. Enquanto Kate quer apenas ser feliz, amada e salva dos caprichos da madrasta.
O relacionamento será construído aos poucos entre batalhas de palavras, beijos roubados, olhares insinuantes, muito romances e um toque de sensualidade.

Mas talvez Kate tenha uma fada-madrinha, sem a necessidade de varinha de condão, ou abóboras que se transformam em carruagens, e bem mais perto do que posso parecer...
A autora nos proporciona um clima romântico, e personagens com sentimentos profundos, que apesar da adversidade de ambos, existia uma similaridade.
Uma curiosidade do livro, diferente de Quando a Bela domou a Fera, é a atemporalidade da narrativa, apesar das referências que remetem ao século 19. A autora não definiu uma época, o que a deixou com a liberdade de utilizar expressões ou descrever situações sem se preocupar com a fidelidade em uma determinada época.


Outra particularidade da escrita se relaciona a construção dos seus personagens, ou melhor, os seus protagonistas. Ela apresenta ao leitor todas as características e pormenores no início do livro, o que você precisa saber estão nas 30 ou 50 primeiras páginas do livro, o que para o leitor desavisado possa parecer uma leitura morosa, mas depois quando inicia a trama propriamente dita, fica impossível largar a leitura, noites mal dormidas te esperam...





0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!