[RESENHA] ELE - Elle Kennedy & Sarina Bowen - Editora Paralela

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

ELE
Autora: Elle Kennedy e Sarina Bowen
Editora: Paralela
I.S.B.N.: 9788584391202
Páginas: 260
Compre: AMAZON - SARAIVA

Eles não jogam no mesmo time… ou jogam?

Das autoras best-sellers Sarina Bowen e Elle Kennedy, Ele é um romance erótico gay apaixonante.

James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo. Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato. O que aconteceu na última noite daquele acampamento de verão, quando tinham apenas 18 anos, não muda uma verdade simples: Jamie sente saudade de Wes.O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles. Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente. Jamie esperou bastante tempo pelas respostas sobre o que aconteceu com seu relacionamento com Wes, mas, ao se reencontrarem, surgem ainda mais dúvidas. Uma noite de sexo pode estragar uma amizade? Essa e outras questões sobre si mesmos vão ter que ser respondidas quando Wesley e Jamie se veem como treinadores no mesmo acampamento de hóquei.
“Li este livro em uma sentada só — é tão bom! Se eu tivesse que selecionar duas autoras para colaborarem, não vejo dupla melhor que Bowen e Kennedy.” — Colleen Hoover, autora best-seller do New York Times
“A maneira como Sarina Bowen e Elle Kennedy desenvolvem o romance destes dois homens é atemporal e maravilhosamente real.” — Audrey Carlan, autora best-seller do New York Times

CONTEÚDO ADULTO

Maravilhoso!!


A Resenha de hoje e contribuição do nosso mais novo resenhista Marcelo Rodrigues.

Eu nunca fui de realmente fã do romance erótico, confesso que apenas a trilogia Cinquenta Tons da E.L. James me chamou a atenção. Porém depois da saga de Anastasia e Grey não voltei a caminhar por esse território. Eis que então a editora Paralela chega com Ele – Quando Ryan conheceu James e após ler a sinopse, precisei conhecer esses dois jovens.

Esse livro com toda a certeza chega “repleto” de novidade por ser o primeiro romance erótico gay. Não é preciso dizer que a história dos dois me arrebatou e eu devorei o livro em questão de horas (até porque ele só tem 250 páginas).

James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo. Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato. O que aconteceu na última noite daquele acampamento de verão, quando tinham apenas 18 anos, não muda uma verdade simples: Jamie sente saudade de Wes. O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles. Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente. 
Ryan Wesley tem a vida que todo adolescente de sua idade gostaria de ter. Bonito, tatuado, extremamente popular e muito talentoso, tem o futuro garantido dentro de um rinque de hóquei. Ele está prestes a iniciar sua carreira profissional em Toronto, tendo alguns jogos pela frente apenas. Entretanto, não imaginava que um simples campeonato iria perturbá-lo tanto. A razão para isso? A grande estrela de um dos times adversários, o goleiro James Canning. No passado, Wes e Jamie eram melhores amigos. Iam a um acampamento de hóquei todo ano, e era lá inclusive, que tinham a chance de se ver. 
Enquanto o acampamento rolava por 6 semanas, os dois tinham os melhores momentos de suas vidas. Mas quando Wes fez uma aposta e seu amigo não recusou, a amizade não demorou para ir por água abaixo. 
Wes seguiu com seu estilo brincalhão e pouco tempo depois de perder o melhor amigo, se assumiu gay para a família. Jamie por sua vez, seguiu seu caminho e continuou jogando hóquei, sem nunca ter entendido o motivo do fim da amizade. Os dois jogam nos times da universidade e são os melhores jogadores. Jamie é goleiro e Wes atacante, então é possível imaginar a pressão sob os dois garotos.
A possibilidade de rever o melhor amigo e ter de enfrentá-lo na final do campeonato deixa Wes desesperado. Ele sabe que errou e quer tentar se reaproximar de Jamie, mas não sabe o que fazer. Depois de tantos anos sem contato, tudo o que ele quer é que as coisas voltem ao normal. Ele ainda é apaixonado pelo amigo, sabendo todavia, que limites precisam ser respeitados. Afinal James é hétero. O que Wes não imaginava, porém, era que o antigo companheiro de acampamento também quisesse sua companhia de volta. Mas será que apenas uma amizade será suficiente? O primeiro encontro dos dois diz que não!
Só de olhar para a capa do livro, podemos notar que existe muito mais que uma amizade entre eles. Como já havia mencionado, James até então é hétero e precisa lidar com todos esses sentimentos que começam a borbulhar dentro de si. Mas ele precisa mesmo, é lidar com esse tesão repentino que ele começa a sentir por alguém do mesmo sexo.
“Me sinto o mesmo de sempre. Mas ter passado a noite com um homem não deveria me fazer sentir diferente? Tipo gay? Tenho vontade de rir. O que é se sentir gay? E, porra, fico surpreso ao perceber que estou com o pau duro. E não é um simples caso de ereção matinal. É por causa do Wes, porque fiquei pensando no que rolou ontem à noite.”
Fazia realmente muito tempo que um romance não tirava o meu ar e o meu chão, mas Ele – Quando Ryan conheceu James conseguiu fazer isso. E pasmem, não falo das cenas de sexo, até porque o livro lida com outros assuntos mais interessantes do que cenas de amor envolvendo dois jovens. 
Talvez o único defeito do livro seja o fato de que tudo aconteceu de uma maneira tão fácil, que às vezes parecia até ser um “conto de fadas”. Ryan estava apaixonado por seu amigo hétero, enquanto que James mantinha um relacionamento aberto com Holly. Mas sabem naquelas típicas comedias românticas que assistimos e assistimos diversas vezes, os dois se reencontram, se apaixonam e TODOS, eu disse, TODOS aceitam esse fato de boas. 
Ninguém se opõe a esse relacionamento, mesmo eles tendo uma carreira profissional extremamente preconceituosa. Deixando isso de lado, Ele – Quando Ryan conheceu James é muito bom. Em poucas páginas você já está dentro daquele universo e sente que faz parte do ciclo de amigos de um dos nossos protagonistas, ou seja, você quer saber mais e mais.
Quando eu finalizei a história já estava com saudades desses dois e é exatamente isso que faz com que eu me apaixone por uma história, é esse envolvimento e o carinho que uma autora consegue fazer com que nos conectamos com seus personagens. Existe uma carga emocional bastante forte por trás dessa história, mas que ao mesmo tempo consegue transbordar amor em diversos momentos. A pegada erótica aqui é 100% mais forte que a trilogia de Cinquenta Tons de Cinza, as cenas são bem detalhadas e caso você tenha algum problema com isso, evite de ler.
Ele – Quando Ryan conheceu James é um grito ao amor, ao desejo e a ser quem você é. Todos merecem viver uma grande história de amor.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!