[RESENHA] ATÉ O FIM - HARLAN COBEN

segunda-feira, 3 de junho de 2019



TÍTULO ORIGINAL: DON'T LET GO 

TRADUÇÃO: MARCELO MENDES 
FORMATO: 16 X 23 CM 
NÚMERO DE PÁGINAS: 272 
PESO: 0.36 KG 
ACABAMENTO: BROCHURA 
ISBN: 9788580419382 
EAN: 9788580419382 
PREÇO: R$ 39.90



SINOPSE: NOVO LIVRO DE HARLAN COBEN, AUTOR COM MAIS DE 70 MILHÕES DE LIVROS VENDIDOS NO MUNDO.
Coben é conhecido como “o mestre das noites em claro" e é o único escritor a ter recebido a trinca de ases da literatura policial americana: o Anthony, o Shamus e o Edgar Allan Poe.
“Harlan Coben é mestre em prender a atenção do leitor e criar histórias surpreendentes. Ele vai seduzir você logo na primeira página só para chocá-lo na última.”— Dan Brown, autor de O Código Da Vinci
“Harlan Coben é um dos meus autores favoritos. Seus livros têm tudo que se pode esperar: suspense de roer as unhas, tramas vertiginosas, questões sociais relevantes e personagens perfeitos.”— Kristin Hannah, autora de O Rouxinol                                 
                  Uma noite trágica. Uma vida inteira de segredos.

O detetive Nap Dumas nunca mais foi o mesmo após o último ano do colégio, quando seu irmão Leo e a namorada, Diana, foram encontrados mortos nos trilhos da ferrovia. Além disso, Maura, o amor da vida de Nap, terminou com ele e desapareceu sem justificativa.
Por quinze anos, o detetive procurou pela ex-namorada e buscou a verdadeira razão por trás da morte do irmão. Agora, parece que finalmente há uma pista.
As digitais de Maura surgem no carro de um suposto assassino e Nap embarca em uma jornada por explicações, que apenas levam a mais perguntas: sobre a mulher que amava, os amigos de infância que pensava conhecer, a base militar próxima a sua antiga casa.
Em meio às investigações, Nap percebe que as mortes de Leo e Diana são ainda mais sombrias e sinistras do que ele ousava imaginar.     


RESENHA...

Quando faço resenhas de romances policiais, sempre tenho o máximo de cuidado para não largar algum spoiler ou revelar demais mesmo nas entrelinhas. E Até o Fim do consagrado autor Harlan Coben, não foi diferente.

Harlan tem uma escrita sensível, consegue criar através de um ambiente trágico um toque de drama, humor e romance, com isso deixando uma narrativa mais humana, sem perder todo o mistério, suspense e o clima denso elementares num romance policial.

Em Até o Fim, Nap Dumas, é um investigar que guarda um drama familiar por 15 anos, mesmo as lembranças ainda o atormentando, porém segue com sua vida e perdendo as esperanças de um dia realmente saber o que aconteceu na noite fatídica que vitimou seu irmão gêmeo e a namorada Diana, além do sumiço da sua namorada, Maura na época do acontecido. Tudo ao mesmo tempo. Porém um fato novo abre novamente as esperanças de Nap.

Quando a tenente Stacy Reynolds e o detetive Bates aparecem na porta de Nap anunciando que um amigo próximo morreu e foi encontrado as digitais de sua antiga namorada, Maura Wells no suposto carro do suspeito do crime, as memórias de Nap volta com força e ele entra de cabeça na investigação.

Com o avançar da investigação, Nap descobre que esses crimes podem estar interligados através do Clube da Conspiração, criado no período do colégio, liderado por Leo, e mais 4 outros colegas, um deles era Maura. Nap acreditava que o clube era despretensioso uma brincadeira entre os amigos, apesar de todos terem uma curiosidade enorme por uma base militar supostamente desativada na cidade que eles moravam, e inventavam várias teorias sobre isso.

Quando ele investiga e descobre que a base não era tão inativa e que talvez o Clube tenha descoberto algo que não devia, ao mesmo tempo, porque depois de 15 anos as mortes voltaram acontecer??? E apesar d das mortes serem por diferentes motivações, porém elas poderiam estar interligadas? Ou apenas a consciência e ânsia da verdade pregando uma peça em Nap?

Além de Maura ainda desparecida, outros integrantes foram mortos somente agora? E Nap começa correr contra o tempo, para salvar os que sobreviveram, e talvez reencontrar seu amor perdido e enterrar de vez o luto pelo irmão.

O que Nap talvez não esperava encontrar algumas decepções enormes pelo caminho.

Harlan tem um dom de fazer o leitor se apegar os personagens através das suas descrições emocionais os envolvendo, todo sofrimento de Nap. A dor do luto que pode criar laços entre pessoas que não tinha uma relação. Isso se dá no exemplo da ligação de amizade entre Nap e Ellie, ela amiga de Diana. E dele com Augie, o pai de Diana que é o mentor de Nap na carreira policial. E os diversos personagens secundários que se interligam emocionalmente ou até ativamente a trama.

Posso dizer que foi um choque a revelação, Harlan começa a tramar uma teia de suposições e pistas que podem levar o leitor por conclusões precipitadas.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!