[RESENHA] O BOM PARTIDO - CURTIS SITTENFELD

sábado, 29 de junho de 2019


Título Original: Eligible
Tradução: Alexandre Barbosa de Souza
Páginas: 320
Editora: Essência
Idioma: Português
ISBN-10: 8542215575
ISBN-13: 978-8542215571
Dimensões do produto: 22,6 x 15,6 x 2,2 cm

Sinopse: Uma versão moderna e emocionante do clássico Orgulho e preconceito Uma versão da família Bennet – e de Mr. Darcy – como você nunca viu antes. Liz trabalha como escritora em uma revista e, assim como Jane, sua irmã mais velha instrutora de yoga, mora em Nova York. Preocupadas com os recentes problemas de saúde do pai, elas voltam à cidade onde nasceram para ajudar – e acabam descobrindo que tanto a bela casa em que cresceram quanto sua família estão desmoronando. As irmãs mais novas Kitty e Lydia estão ocupadas demais com seus treinos de CrossFit e dietas para arranjar empregos. Mary, a irmã do meio, está fazendo seu terceiro mestrado à distância e quase não sai do quarto, exceto para suas aventuras misteriosas nas noites de terça. E a Sra. Bennet só pensa em uma coisa: como casar suas filhas, especialmente com o aniversário de quarenta anos de Jane se aproximando. Até que chega à cidade o cobiçado médico Chip Bingley, famoso por ter participado do reality show Bom Partido. Em um churrasco de Quatro de Julho, Chip e Jane se interessam imediatamente um pelo outro, mas seu amigo neurocirurgião Fitzwilliam Darcy não tem a mesma sorte com Liz. Primeiras impressões, porém, podem estar erradas.


Resenha...


Sendo uma leitora fiel de Jane Austen, tenho uma verdadeira obsessão de tudo que é escrito em torno do nome da autora, já me dei muitas vezes bem mal, pois tem muita porcaria escrita baseado nos consagrados livros de Austen, porém muitas outras coisas interessantes, como é o caso de O Bom Partido da autora Curtis Sittenfeld publicado pelo selo Essência da Editora Planeta Livros Brasil.
Na narrativa de Curtis igualmente no livro original, a personagem principal é Liz Bennet, através dela e de um narrador em alguns momentos que temos a visão da narrativa, mas por incrível que parece a história do livro não se centraliza na personagem.

A autora foi bastante fiel, mesmo décadas de diferença, o contexto da história original. Sendo que Liz e Jane continuam sendo as filhas mais centradas, enquanto as outras continuam transloucadas, inclusive a Senhor Bennet. Esta última é uma consumista de primeira, e compra qualquer coisa fútil que chama atenção, o problema que a família mora num casarão ancestral em Cincinnati, que está em processo de deterioração, tanto a casa quanto a vida financeira da família. Que as duas irmãs que estavam morando em Nova York já bastante tempo foram descobrir quando voltaram para cuidar do pai, o Mr. Bennet que estava com problemas de saúde.

Liz, uma escritora da revista feminina, Rímel e Jane, instrutura de yoga decidem colocar uma solução nos problemas familiares, praticamente Liz assume a responsabilidade, já que Jane terá um amor a vista, sim é ele Chip Bingley.

O Bingley dessa história, é médico e protagonista de um reality show, intitulado o Bom Partido, após acabar o programa, decidiu ir Cincinnati juntamente com seu melhor amigo também médico, Fitzwilliam Darcy para trabalhar no hospital local.

Obviamente temos todo a disputa de orgulho entre Liz e Darcy, temos o romance complicado de Chip e Jane, que o motivo não tem relação com o livro original. Além dos dois casais centrais, outros casais se formam, inclusive uma relação bastante moderna e atual envolvendo Lydia que neste livro não irá se envolver com Wickham, que neste livro obviamente tem outro nome, e continua com sua falta de caráter costumeira.

Apesar da fidelidade com original, mas por incrível que pareça isso me incomodou em alguns momentos, são décadas de diferença e tentar adaptar uma situação moderna e sem perder a essência com algo do passado deixando alguns momentos estranhos.

Por exemplo, a relação da Liz e o Darcy, teve alguns momentos tão frios, que prejudicou a química do leitor com o casal, porém outras situações, como os diálogos provocantes e inteligentes trocados entre ambos deram um toque a mais na relação do casal. Dentre outros momentos que também foi interessante como a autora adaptou para os tempos atuais conservando a essência.

Gostei muito de como a autora conduziu os tópicos polêmicos bem atuais, não tão profundos, mas com uma sutiliza sensível, mostrando ambos os lados. Não vou falar muito sobre isso para quem ler se surpreender como aconteceu comigo.

O Bom Partido é um livro que tem seus altos e baixos, incomoda em certos momentos, encanta em tantos outros. Indicado não somente para fãs de Jane Austen, e sim para quem gosta de romances suaves, com momentos de humor, um pouco da realidade da mulher atual na sociedade.


0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!