[RESENHA] ESSE DUQUE É MEU (SÉRIE CONTOS DE FADAS #5) - ELOISA JAMES

segunda-feira, 1 de julho de 2019



LANÇAMENTO: 10/04/2019 

TÍTULO ORIGINAL: THE DUKE IS MINE

TRADUÇÃO: LIVIA DE ALMEIDA 
FORMATO: 16 X 23 CM 
NÚMERO DE PÁGINAS: 320 
PESO: 0.46 KG 
ACABAMENTO: BROCHURA 
ISBN: 9788580419429 
EAN: 9788580419429 
LEIA UM TRECHO: https://bit.ly/2XC7kI5



SINOPSE: QUINTO E ÚLTIMO VOLUME DA SÉRIE CONTOS DE FADAS.

Nas mãos de Eloisa James, autora de best-sellers do USA Today e The New York Times, os contos de fadas que amamos quando crianças assumem uma nova vida vibrante e sensual.
                           
“A releitura de Eloisa James de A princesa e a ervilha contém a tríade romantismo, personagens envolventes e história cativante.” – Publishers Weekly
“Uma versão brilhante de mais um conto clássico. Você nunca mais olhará da mesma forma para ervilhas, colchões e até mesmo heróis.” – Library Journal
Era uma vez, numa época não muito distante…

Para Olivia Lytton, seu noivado com o duque de Canterwick é mais uma maldição do que uma promessa de ser feliz para sempre. Pelo menos o título de nobreza dele ajudará sua irmã, Georgiana, a garantir o próprio noivado com o carrancudo – e lindo – Quin, o duque de Sconce, um par perfeito para ela em todos os sentidos.

Quer dizer, menos em um, porque Quin está apaixonado por Olivia. A curvilínea, teimosa e inconformista irmã gêmea de sua noiva desperta um desejo desconhecido nele. Mas Quin nunca coloca a paixão à frente da razão, e a razão lhe diz que Georgiana é a noiva perfeita.

Quando eles não conseguem resistir à paixão, correm o risco de colocar tudo a perder – o noivado de Olivia, a amizade dela com a irmã e o próprio amor dos dois.

Agora só há uma coisa capaz de salvá-los, e ela espera no quarto, onde um magnífico colchão guarda respostas transformadoras ao enigma mais romântico de todos.

No quinto livro da coleção Contos de Fadas, Eloisa James traz de volta à baila uma pergunta antiga: será que a perfeição tem alguma coisa a ver com o amor?

Resenha...
E mais uma série finalizada pela Editora Arqueiro, o livro Esse Duque é Meu da autora Eloisa James da série Contos de Fadas. E gostaria antecipadamente pedir para Editora Arqueiro que publicasse outra série da autora, mais voltada verdadeiramente para romance de época, já que está com leves toques de fantasia não consegui ter a verdadeira percepção da escrita da autora. Explico...

Li todos os livros da série, e desde o primeiro sentia algo esquisito durante a leitura, pois você como leitora espera um livro de época, e talvez por conhecer os contos, percebia quando a autora adiciona na narrativa alguns elementos desses contos, e em alguns momentos ocorrendo situações absurdas para o contexto de época. Tanto que em Um Beijo à Meia-Noite baseado no conto de fadas Cinderela, o livro é atemporal, ou seja, não tem nem uma época específica.

Apesar de amar as narrativas, e principalmente a peculiaridade da escrita da autora, essas intervenções dos contos em alguns momentos realmente me incomodava, e somente tive noção disso lendo o quinto e último livro publicado da série, Esse Duque é Meu. E sabe o porquê? Devido meu desconhecimento do conto A Princesa e a Ervilha, além de não identificar as referências, também porque neste livro a história do casal ser mais condizente com um romance de época.

Olivia Lytton juntamente com a irmã Georgiana, foram educadas para serem duquesas, apesar de serem gêmeas, mas são diferentes tanto na aparência quanto nas atitudes, enquanto Georgina segue a risco do manual da “duquesificação”, nome dado por Olívia, ou seja, ela fazia praticamente o oposto de ser uma exemplar futura duquesa. Mas apesar de tudo, ela foi a primeira que conseguiu um duque, na verdade era uma promessa de entre famílias, mas o futuro marido de Olívia era apenas uma criança de 18 anos.  

Infelizmente já comprometida, ela torna acompanhante da irmã para uma temporada na propriedade do Duque de Sconce que estava disposto a se casar, e Georgiana seria uma duquesa perfeita, porém...

Tarquin Brook-Chatfield, o duque de Sconce vive excluso desde que perdeu sua esposa e filho, e também é um grande intelectual que ama cálculos matemáticos, porém acatou a decisão da mãe que devia escolher uma esposa, porém ele não queria participar diretamente do processo de seleção, mas sim sua mãe, a duquesa viúva que escreveu o livro O Espelho dos Elogios, podemos dizer que seja o verdadeiro “manual da duquesificação”.  Mas devido um infortúnio ele conhece primeiramente Olívia, e isso se torna um obstáculo para encontrar uma duquesa perfeita.

O primeiro encontro de Olívia e Tarquin provoca faíscas, e com o tempo de convívio a atração aumenta entre ambos, Olívia com culpa de consciência que esteja traindo tanto a irmã quanto o seu noivo que no momento está lutando numa guerra. Enquanto Tarquin fica receoso com seus sentimentos em relação a Olívia, pois remete as semelhantes sensações que sentia por sua ex-esposa e seu conturbado casamento.

Entre traumas e consciências pesadas, Tarquin e Olivia se tornam inseparáveis e com a relação cada vez mais forte, porém sempre tem um obstáculo no caminho para felicidade, e no caso do casal é o jovem noivo de Olívia, que precisará urgentemente do seu auxílio.

Com certeza Esse Duque é Meu, se tornou meu segundo preferido da série, o primeiro é Quando a Bela domou a Fera. Achei interessante a construção do casal, pois são tão antagônicos e ao mesmo tempo tão similares. Ambos têm problemas de revelar seus sentimentos por motivos diferentes. Ela tem problema em relação a sua aparência, por ter mais curvas que o tolerável no modelo padrão das beldades da época. E ele por acreditar que fracassou como marido e pai. O espírito alegre e audacioso dela o atrai completamente, em contrapartida, o jeito introspectivo dele e ao mesmo tempo sagaz a fascina.

Os personagens secundários dão um toque a mais na narrativa, Georgina tem um papel fundamental, de ser um contraponto de Olívia, além do sonhador e poeta do primo de Tarquin, Justin Fiebvre, o primeiro nome é uma homenagem ao cantor Justin Bieber, o ídolo da filha da autora.

A autora com a série presta mais uma homenagem ao seu pai, o escritor Robert Bly, quando ela era criança juntamente com seus irmãos, o pai pedia para os filhos inventarem histórias baseadas em contos de fadas.

No último livro da série fui entender melhor a proposta da autora em relação aos livros, e relerei  todos eles em uma futura oportunidade com essa minha nova visão, pois inicialmente fui em busca de um romance de época, mas na verdade estava lendo um narrativa diferente, com contextos peculiares e a inteligente escrita de Eloisa James.


Então um conselho, quando forem ler essa série, não se limite em ler um romance de época e sim expanda a sua percepção e curta as brilhantes histórias de contos de fadas recriadas pela autora. 


0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!