[RESENHA] MARIONETE (TRILOGIA FAWKES E BAXTER #2) – DANIEL COLE

domingo, 25 de agosto de 2019



TÍTULO ORIGINAL: HANGMAN 
TRADUÇÃO: ANA RODRIGUES 

FORMATO: 16 X 23 CM 
NÚMERO DE PÁGINAS: 352 
PESO: 0.43 KG 
ACABAMENTO: BROCHURA 
ISBN: 9788580419610 
EAN: 9788580419610 
LEIA UM TRECHO: https://bit.ly/2JiDGRu

SINOPSE: MARIONETE É A CONTINUAÇÃO DE BONECO DE PANO, QUE FOI ESCRITO ORIGINALMENTE COMO PILOTO PARA UMA SÉRIE DE TV.


A excelente coadjuvante do livro Boneco de pano, a detetive Emily Baxter, é a protagonista desta continuação em busca de um serial killer.

"Um livro inventivo, criativo e original do começo ao fim, de um realismo nu e cru, repleto de adrenalina.” – Barnsey’s Books

“Daniel Cole continua se superando, tanto na narrativa dos crimes quanto nos diálogos. Este é um livro para quem adorou Boneco de pano eespera ainda mais surpresas e reviravoltas.” – Publishers Weekly

Sua vida pode estar por um fio

Muitos meses se passaram, mas a detetive Emily Baxter ainda lida com as cicatrizes do chocante caso Boneco de Pano e com o desaparecimento de seu amigo William Fawkes, o Wolf.

Apesar da relutância em se envolver em outra investigação horrenda, ela é convocada para uma reunião com o FBI e a CIA, onde é surpreendida com fotografias macabras de um corpo retorcido em uma pose familiar, pendurado na ponte do Brooklyn, com a palavra “isca” entalhada no peito.

Logo em seguida, uma nova vítima surge em condições idênticas. Só que, dessa vez, o corpo do assassino também se encontra na cena do crime, com a palavra “marionete” entalhada no tórax.

Quando a pressão da mídia e da opinião pública se intensifica, Baxter recebe a ordem de cruzar o Atlântico e ajudar na investigação. Enquanto as mortes se multiplicam tanto em Nova York quanto em Londres, a força-tarefa se vê impotente e Baxter precisa vencer o medo que a paralisou no último ano para impedir o sacrifício de mais vidas.

Tem livros que talvez se não fosse por uma oportunidade não se interessaria em ler, foi o caso de O Boneco de Pano, primeiro livro da série Fawkes e Baxter. Apesar de gostar do gênero policial, não me chamou a atenção a sinopse do livro, mas tive que ler para apresentar um evento, ainda bem!!! Fiquei maravilhada com a escrita do autor Daniel Cole.

Desde a criatividade do enredo, até a construção dos personagens e as situações de investigação e mistério no decorrer da narrativa, e o final de Boneco de Pano criou uma enorme expectativa para o segundo, porém não é nem um terço do que imaginávamos, ele conseguiu se superar ainda mais em Marionete.

Com Wolf momentaneamente desparecido, o protagonismo desse segundo livro o protagonismo é da detetive Emily Baxter que depois do caso Boneco de Pano quer um pouco de paz em investigações desse nível, mas ela não ficará longe por muito tempo.

Nos E.U.A aconteceram assassinatos com semelhança ao caso do Boneco, e os agentes da CIA, Elliot Curtis e Damien Rouche (Rooze? Rooshy? Roze? Entendedores, entenderão) foram para Londres pedir a colaboração de Baxter. Ela irá cruzar o oceano, para tentar desvendar as mortes, as ligações e os motivos por estarem acontecendo em Nova York.

O autor tem uma escrita, como se fosse um roteiro de cinema, então o leitor recebe o impacto da brutalidade dos assassinatos igual os personagens do livro, a visão e os detalhes que o autor proporciona das mortes chocam no decorrer da leitura.

Oposto de Boneco de Pano que a característica dos assassinatos era padrão, em Marionete não é, cada cena de crime é uma surpresa diferente, tanto para os detetives quanto para o leitor, e são cenas macabras, sombrias e com certa excentricidade de uma mente completamente perturbada, e o autor não poupa o leitor pela chocante riqueza de detalhes.

Em Marionete Daniel Cole, aborda assuntos sobre amizade, religiosidade e aprofunda um pouco a vida pessoal dos personagens, sendo que de um deles, nos emociona quando descobrimos seu passado. Porém tem momentos engraçados para descontrair o clima pesado da narrativa do livro.

Marionete é um thriller de tirar o fôlego e o sono, já que você fica na expectativa até o final do motivos e realmente quem é o responsável pelos tenebrosos crimes, e o autor consegue conduzir com a impactante cena final. Agora na expectativa do terceiro e último livro Endgame, que foi publicado em maio deste ano lá fora com excelentes críticas, então Editora Arqueiro publica logo, nunca te pedi nada (mentira, estou sempre pedindo, rsrs).


O PRIMEIRO LIVRO DA TRILOGIA...

BONECO DE PANO (FAWKES E BAXTER #1)

“O thriller de Daniel Cole me fez virar as páginas sem parar. É um impressionante livro de estreia – sombrio e surpreendentemente engraçado.” – Gregg Hurwitz, autor de O sobrevivente

“Boneco de pano é um livro viciante, com personagens maravilhosos e um serial killer totalmente imprevisível. É o melhor thriller de estreia que eu já li.” – Rachel Abbott, autora de Apenas os inocentes

VOCÊ ESTÁ NA LISTA DE UM ASSASSINO. E ELA DIZ QUANDO VOCÊ VAI MORRER.

O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.
Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.
Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.

Com protagonistas imperfeitos, carismáticos e únicos, aliados a um ritmo veloz e uma deliciosa pitada de humor negro, Boneco de pano é o que há de mais promissor na literatura policial contemporânea.



1 comentários

  1. olá, voltei com meu blog depois de 6 anos inativo. fiz um maravilhoso post sobre edgar allan poe. dá uma passadinha lá pra conferir. abraços

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!