[RESENHA] Mundo em Caos - Petrick Ness - @intrinseca

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Mundo em Caos
Autor: Petrick Ness
Editora: Intrínseca
I.S.B.N.: 8551004506
Páginas: 480


Do premiado autor Patrick Ness, uma distopia marcante que ganhará as telas do cinema em filme estrelado por Tom Holland e Daisy Ridley

Em um mundo pós-apocalíptico, uma infecção rara e perigosa causou o inimaginável: a morte de todas as mulheres. O mesmo germe fez com que os pensamentos dos homens se tornassem audíveis, e agora o caótico Ruído está por toda parte. É impossível guardar segredos no Novo Mundo.
Todd Hewitt é o único garoto entre os homens da cidade de Prentisstown, e mal pode esperar para se tornar um deles. No entanto, o lugar esconde algo grave, capaz de mudar o futuro de Todd e do Novo Mundo para sempre. A apenas um mês de se tornar homem, um segredo impensável é revelado, e ele se vê forçado a fugir antes que seja tarde demais. Acompanhado por seu fiel escudeiro, o cachorro Manchee, ele empreende uma jornada repleta de perigos e se depara com uma criatura estranha e silenciosa: uma garota. Mas quem é ela? E por que não foi morta pelo germe como todas as mulheres?
Publicado em mais de trinta países, Mundo em caos é o primeiro volume de uma distopia perturbadora sobre os laços que forjamos em situações extremas e traz à tona a infinita insensatez humana diante das diferenças. A adaptação cinematográfica da obra está prevista para o início do segundo semestre e terá Tom Holland e Daisy Ridley como protagonistas. A Intrínseca relança em uma edição especial, com tradução inédita e um conto extra, a série que consagrou Patrick Ness como um dos maiores nomes da literatura jovem.



A Resenha de hoje e contribuição do nosso colaborador Marcelo Rodrigues.


Oi gente, que saudades de vocês, hoje eu to aqui para falar de um livro que mexeu comigo: Mundo em Caos, de Patrick Ness.

Galera, vocês conseguem imaginar um mundo em que os pensamentos dos homens fossem espalhados por todos os lados? Isso certamente seria um caos, não é? Então é basicamente essa discussão que Mundo em Caos propõe aos leitores. Escrito por Patrick Ness e publicado pela primeira vez no Reino Unido em 2008, o romance chegou esse ano no Brasil pela Intrínseca. Ness traz uma narrativa que ilustra bem como seria o mundo se fosse dominado pela voz do homem. O livro narra a história de algumas colônias de seres humanos que chegam a um planeta chamado de Novo Mundo. O motivo deles terem deixado a Terra é explicado em um conto extra. Neste lugar recém-descoberto, um germe mata todas as mulheres e metade da população masculina, além de permitir que os pensamentos dos homens sejam escutados por todos os habitantes. Tudo leva a crer que quem liberou esses germes foram os Spackles – os nativos – na grande guerra entre eles e os humanos.


Todd, o personagem principal, está a um mês de se tornar um homem e, como ele é o último garoto da cidade, há muita expectativa para isso acontecer. Esta cidade foi a última que sobrou. Nela, os meninos se tornam homens aos 13 anos (que na verdade é aos 14 porque o ano para eles é contado com 13 meses). Tudo começa a desandar quando Todd escuta um silêncio nas matas. Em um mundo dominado pelo Ruído – como é chamado o ensurdecedor mundo de palavras – o silêncio se destaca. Se todos os homens são barulhentos, o silêncio só podia significar uma mulher. A única. 

De cara podemos notar que Mundo em Caos traz uma urgente discussão social. O mundo governado pelos homens é literalmente um caos, afinal eles só pensam em duas coisas: guerra e destruição. Ou seja, enquanto uma mulher for apenas um silêncio, não existirá uma evolução real. O Ruído, então acaba representando a sociedade que por muitas vezes acaba nos cercando, uma sociedade reinada por homens e para homens. 

O mundo masculino apresentado por Ness é bastante agressivo e autoritário, incorporando por diversos momentos elementos militares e excluindo diversos elementos educacionais. Afinal, o conhecimento é a arma mais poderosa que existe, por isso, que o prefeito mandou incinerar todos os livros da cidade (CRIVELLA FEELINGS). O que acaba transformando boa parta da população em ignorantes e semianalfabetos.

O prefeito acaba assumindo o papel de um ditador, o que ele diz é lei. E ele quer dominar o mundo todo e para que isso aconteça, é preciso que ele domine cada um individualmente e isso só acontecerá, se o povo não tiver nenhuma instrução para questioná-lo. A religião é utilizada, no livro, como um instrumento de dominação, representada pelo padre Aaron, um lunático que serve aos propósitos do prefeito. 

Mesmo com uma história tão atual, a narrativa de sua metade até boa parte dos momentos finais, acaba se desenrolando bem lentamente. Mas a maneira que Patrick Ness escreve a história acaba enchendo nossos olhos e que até esquecemos sua lentidão. 

Mundo em Caos não é só uma leitura prazerosa, mas é praticamente um convite para um debate urgente sobre a sociedade que estamos desenvolvendo. 
P.S.: Mundo em Caos vai ganhar adaptação cinematográfica para o ano que vem e vai ser estrelada pelo nosso fofinho Tom Holland. 

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!