[RESENHA] NÃO CONFIE EM NINGUÉM - CHARLIE DONLEA - FARO EDITORIAL

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

NÃO CONFIE EM NINGUÉM
Autor: Charlie Donlea
Editora: Faro Editorial
Páginas: 352
I.S.B.N.: 9788595810433

Sinopse: O melhor livro de Charlie Donlea - até agora. O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com onamorado. O rapaz é assassinado... e ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.
 

       Fatos e boatos. Infelizmente, nos últimos anos, parece que a guerra de narrativas tem ficado mais intensas, seja de um lado, seja do outro. Devido a quantidade de informações sendo bombardeadas por todo o lado o tempo inteiro, fica cada vez mais difícil saber o que é fato e o que é mentira. Devido a esse problema, é muito fácil você trocar gato por lebre. Tanto que, agora, temos uma lei prevendo prisão e multa por criação e disseminação de notícias falsas.

Mas, agora eu te pergunto: e se, por acaso, você fosse o alvo dessas notícias? Como você lidaria com essa situação? Tentaria acabar com esses boatos, mesmo todos lhe contradizendo e apontando o dedo na rua pra você? Aceitaria, mesmo sabendo que não é verdade? É nessa guerra de narrativas que Não Confie em Ninguém se baseia.

Sydney Ryan é uma documentarista famosa. Seu desejo insaciável pela verdade acabou fazendo ela produzir 3 documentários onde ela ia ao fundo de casos fechados a fim de buscar quaisquer detalhes possivelmente perdidos, achando novos suspeitos e, vez ou outra, até inocentando os antigos condenados, incluindo a possibilidade de nova apelação a fim de inocentá-los. Isso acaba fazendo com que essa notoriedade seja vista por todos os presos como uma chance de conseguirem sua liberdade. Mas claro que Ryan não é burra. Ela só aceita casos onde a mesma sabe que a história é interessante e o único objetivo é desvendar a verdade antes oculta.


Do outro lado, vemos Grace Sebold, uma mulher que viu sua vida degringolar da maneira mais inacreditável. Seu namorado morreu e, infelizmente, ela foi considerada a única suspeita e, por consequência, culpada. Dez anos depois, Sebold já se encontra numa situação desesperadora. Suas apelações esgotaram e sua esperança de liberdade está por um fio. Durante algum tempo, Grace enviou cartas para Sydney, detalhando algumas provas que as autoridades deixaram passar que poderiam ajudá-la a reverter sua condenação e finalmente, garantir sua liberdade.

Se você é fã de um bom policial com suspense, os famosos thrillers, que já foram filmes muito requisitados antigamente. O que, infelizmente, tem tido cada vez menos grandes títulos nos últimos anos, o autor volta a resgatar o estilo de maneira extremamente cativante. Vez ou outra, se você é fã desse estilo, você pode notar certas similaridades com filmes como O Colecionador de Ossos e diversos outros exemplos.

Nem é preciso dizer que através dessa história o autor decide fazer uma crítica a guerra de narrativas que estamos vivendo atualmente. O autor consegue fazer uma senhora alfinetada de maneira sutil sem ser pedante ou mesmo panfletário. Digno de aplausos.

Isso sem falar das protagonistas dessa história. Aos homens que vivem dizendo que falta atitude a mulheres, que faltam mulheres de tirar o fôlego de antigamente como Ellen Ripley ou Sarah Connor, só digo uma coisa: toma na sua cara que essas mulheres vão fazer você se impressionar com atitudes e com a prontidão das mesmas que certamente irão ficar no imaginário dos(as) leitores(as) nos anos seguintes.

Neste parágrafo, hora de fazer um mea culpa. Nunca li A Garota do Lago e sempre achava que o livro seria mais um romance água com açúcar entediante e chato e o mesmo autor nunca produziria nada com o mínimo teor instigador. Agradeço o autor ter me feito pagar a língua. Eu me peguei diversas vezes adorando esse livro e agora devo dizer estou com muita vontade de ler toda sua bibliografia o quanto antes, visto que o mesmo é mais que gabaritado para fazer o que quiser, até livro infantil.

A atmosfera é angustiante. Nunca se sabe o que o vai acontecer no próximo parágrafo. Há muito tempo, eu não era surpreendido. E só me pergunto uma coisa: quanto tempo vai levar até algum produtor, serviço de streaming ou canal de tv até comprar os direitos e fazer uma adaptação desse livro? Se não fizer, vão continuar a dar mais argumentos para titio Scorsese, titio Spielberg, titio Coppola entre outros a dizer que o cinema de antigamente está morto.

Não Confie em Ninguém é uma obra incrível. Cheia de reviravoltas, extremamente viciante e muito bem construído. Se você não é muito a fim de livros de mistérios, creio que as personagens femininas lhe farão ter orgulho não apenas do modo como são retratadas, mas também do protagonismo eficiente e bem armado, ou mesmo pelas críticas a nossa dura realidade atual. Não me surpreenderia se você colocasse nos comentários que você gostaria que o mesmo tivesse mais páginas.







Essa resenha é cortesia do nosso novo colunista especialista em HQs Rafael Da Fonte de Hires.


Rafa é formando em Cinema e também atua como crítico de cinema.

1 comentários

  1. Meu livro preferido de Donlea continua sendo a Garota do lago, gostei de não confie em ninguém, porém o final não me agradou muito, vou ler mais tarde uma mulher na escuridão, espero que seja melhor, um autor que li todos os livros que amei a leitura do começo ao fim foi de Robert Bryndza série Erika Foster, leitura chocante que prende do início ao fim, meu preferido é o Bryndza acho os livros dele mais eletrizantes e com reviravoltas inimagináveis, amo donlea também, porém acho algumas partes do livro previsível o que não sinto com Bryndza,as realmente livros maravilhosos.

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentário!