[RESENHA] INSPEÇÃO - JOSH MALERMAN - EDITORA INTRÍNSECA

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

INSPEÇÃO
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Páginas: 416
I.S.B.N.: 9788551005262

Sinopse: Novo livro do autor de Caixa de pássaros, que já vendeu mais de 210.000 exemplares no Brasil Às vezes, o que existe atrás de uma porta pode libertar ou matar você. Até onde vai a sua curiosidade? Rapazes e garotas estão sendo criados em escolas especiais. Um grupo não sabe da existência do outro — até agora. No alto de uma torre embrenhada em uma floresta e isolada do restante do mundo, temos J. Ele é um dos vinte e seis rapazes de um internato que tem como objetivo formar prodígios em artes, ciências e atletismo. Até hoje J só teve contato com as outras pessoas que vivem ali: os colegas são sua única família e todos acreditam ser filhos do fundador da escola. A vida acadêmica é tudo o que conhecem — e tudo o que lhes é permitido conhecer. Mas J suspeita da existência de algo mais fora dali, para além da Torre em que vive, algo que não querem que ele veja. É então que começa a questionar. Qual o verdadeiro propósito daquele lugar? Por que os alunos não podem sair? E que segredos o pai está escondendo deles? Enquanto isso, do outro lado da floresta, em um internato muito parecido com o de J, uma jovem chamada K vem se fazendo as mesmas perguntas. Ao investigar os mistérios por trás de suas estranhas escolas, talvez os dois acabem descobrindo algo... que não deveriam.



A Resenha de hoje e contribuição do nosso colaborador Marcelo Rodrigues.

Inspeção lembra uma obra qualquer de distopia que gira em torno de um experimento social, cujo objetivo principal é explorar o potencial dos jovens. Para isso, garotos e garotas são ensinados em locais diferentes, sem saber um da existência do outro.

Os jovens ficam em prédios separados, estudam e criam uma estrutura social baseada na alienação, desinformação e terror emocional e psicológico. Criando assim uma atmosfera bastante pesada, onde o questionamento das regras nunca é bem visto. Tanto que aqueles que não se encaixam no esperado, acabam sendo levados para o “Canto”, um local onde nenhum jovem voltou.

Josh Malerman, amadureceu bastante desde Caixa de Pássaros e seu novo livro é a prova que ele consegue ser um autor bastante versátil, capaz de nos surpreender com uma trama totalmente diferente de seus trabalhos anteriores. 

Como falei no início, existe uma pegada meio distópica aqui, partindo de uma premissa bem simples e um enredo desenvolvido de uma maneira bastante básica, que opta pela qualidade do que está querendo discutir nas entrelinhas e traz uma crítica social bastante profunda, com um certo viés político.

A Parentalidade comanda o instituto em que vinte e seis garotos são criados, totalmente isolados do mundo. Seu fundador, conhecido como P.A.I., acredita, e transformou isso em um artigo de constituição, que o desenvolvimento intelectual é prejudicado quando se há o contato com o sexo oposto. Logo, os garotos foram criados desde bebês sem nenhum contato com mulheres. Para eles, só existe o mundo na torre em que vivem, cercados por um jardim e nada há além da copa daquelas árvores. Não muito longe dali uma torre idêntica abriga as meninas, criadas da mesma forma e comandadas pela figura da M.Ã.E.

É mais ou menos assim que o terror psicológico e com altas doses de tensão vai se desenvolvendo e envolvendo os leitores.

O grande ponto alto de Inspeção é que tudo que tudo que está sendo discutido na história é implicitamente. O autoritarismo é presente desde as primeiras páginas e, mesmo, acreditando que estão vivendo a melhor vida do mundo, porque só conhecerem aquilo, os meninos que protagonizam mais da metade da narrativa, sempre se encontram em um estado de tensão constante. Essa tal liberdade de ficar vagando pelos corredores e sendo estimulados a todo momento a desenvolverem suas habilidades intelectuais, visando a genialidade, é sempre posta à prova quando acordam todos os dias. 

Inspeção vai ser uma obra que vai agradar muitos, mas para alguns leitores pode ser uma leitura um pouco maçante, por conta de tantas informações. O saldo final é positivo, bem mais que seu último livro.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!