[RESENHA] STRANGER THINGS: RAÍZES DO MAL - GWENDA BOND - EDITORA INTRÍNSECA

sexta-feira, 3 de janeiro de 2020

STRANGER THINGS
RAÍZES DO MAL
Autora: Gwenda Bond
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
I.S.B.N.: 9788551004364

Sinopse: Primeira história oficial do universo expandido de Stranger Things. Descubra o passado sombrio da mãe de Eleven e do médico perverso envolvido no projeto MKULTRA Uma das séries de maior sucesso dos últimos tempos, Stranger Things surpreendeu espectadores de todas as idades. Agora, a poucos meses da estreia da aguardada terceira temporada, a Intrínseca lança o primeiro livro oficial da série, que explora o passado de dois dos personagens mais enigmáticos da produção: Terry Ives, a mãe de Eleven, e o dr. Martin Brenner, o homem que separou as duas.Em plena década de 1960, os Estados Unidos estão passando por profundas mudanças políticas e sociais, e Terry Ives, estudante de uma cidadezinha em Indiana, se vê à parte dos acontecimentos. Cansada de ser uma mera espectadora das mudanças à sua volta, ela enxerga sua grande chance de entrar para a história ao se voluntariar para participar de um projeto ultrassecreto do governo chamado MKULTRA, realizado no laboratório de Hawkins.É lá que ela conhece o dr. Martin Brenner, um homem cruel capaz das maiores atrocidades para alcançar seus objetivos. Terry logo se vê presa em uma trama repleta de manipulações e perigos, travando com Brenner uma guerra em que a mente humana é o campo de batalha. E sua única chance de vitória reside em uma menininha com poderes sobre-humanos e um número no lugar do nome.Obra oficial de Stranger Things, Raízes do mal expande o universo da série, aprofundando a trama, e volta no tempo para explicar como os destinos de Terry, Brenner, Eleven e Eight se cruzaram pela primeira vez.

Nem é preciso dizer que, nos últimos 3 anos, uma série que chamou a atenção do mundo e fez com que um dos maiores serviços de streaming do mundo recebesse cada vez mais atenção é Stranger Things. Unindo uma vibe revivalista com teorias de conspiração do governo, possíveis experimentos do governo americano e milhares de homenagens da cultura pop oitentista.

Depois de várias campanhas, licenciamento e com uma fanbase gigantesca já era esperada que viria uma possível expansão do universo. Eis que chega a primeira produção da série fora do serviço. Mas será que fez jus ao que já havia sendo feito?

Situado em 1969, a história acompanha o Dr. Martin Brenner, personagem da primeira temporada vivido por Matthew Modine, recrutando jovens para o projeto MKULTRA, um projeto ultrassecreto do governo. Por intermédio de uma amiga, a jovem Terry Ives toma conhecimento do projeto e decide participar. Lá, ela conhece Ken, Alice e Glória e a pequena Eight, a primeira cobaia de Brenner. Aos poucos, Terry percebe que os experimentos no laboratório guardam segredos obscuros e que Dr. Brenner é uma grande ameaça para ela e seus amigos.

Se você ainda não viu nenhuma temporada da série, recomendo fortemente ver, no mínimo, as duas primeiras temporadas, pois além de lhe situar no tempo e espaço antes dos eventos que se desenrolariam anos a seguir, você já estaria melhor fundamentado quanto a alguns personagens.
Porém, eis que surgem comentários do tipo: mas se fala de algo que aconteceu antes, porque devo saber de coisas que só acontecerão no futuro? Pois estes personagens já foram abordados na série e este livro vem como complemento de ajudar a entender pontas que ficaram soltas desde a primeira temporada.
Outra pergunta que pode surgir: não ver a série e ler o livro antes pode atrapalhar? Sim e não. Não, pois o livro consegue se satisfazer como unidade própria dentro do seu próprio microcosmo. Sim, porque ter uma base para melhor entendimento de quem é quem vendo no mínimo a primeira e a segunda temporadas ajuda a narrativa a deslanchar de modo mais fácil, visto que nenhum dos personagens do futuro fora abordado.


Se eu tivesse de escolher um personagem que é o ponto central de toda a narrativa, sem sombra de dúvidas é Dr. Brenner. Se você, fã da série, já quis estraçalhar esse personagem alguma vez, não apenas pelo abuso de crianças e mulheres, mas também por seu poder de convencimento singular, chegando a lhe dar um ódio incontrolável, prepare-se: aqui você verá a gênese desse monstro cuja capacidade de gerar antipatia é instantânea.

Também vemos as explicações do porque a mãe da Eleven ficou paralisada e só pode conversar com a garota quando a mesma usa suas técnicas psicológicas, além de termos mais um pouco do passado de Eight/Oito ser visto. Creio que se virasse um episódio especial da Netflix seria bem aproveitado o conteúdo.
Esse conteúdo é pensado muito bem. Os irmãos Duffer quando bolaram a ideia para essa série tinham, desde o início, a ideia de como queriam que seu produto fosse feito e, para tanto, qualquer obra lançada com o nome de seu maior trunfo não seria feito de qualquer maneira. Por isso, Gwenda Bond, a escritora, deve ter pedido muita ajuda para fazer jus ao material fonte.

Além de estar num dos períodos mais conturbados da história recente americana (qualquer dia a Scheila explica procês), as questões apresentadas continuam tão atuais quanto se fosse algo acontecendo hoje em dia.

Stranger Things - Raízes do Mal é um complemento indispensável ao fã mais devoto da série. Para obter um entendimento total, a série ainda é necessária ser vista. Mas, mesmo abordando o passado de personagens abordados só futuramente, ainda consegue fazer sentido dentro de seu espaço. Mesmo com uma pegada mais tensa e mais “humana”, não perde o charme que seu material fonte lutou para ter.








Essa resenha é cortesia do nosso novo colunista especialista em HQs Rafael Da Fonte de Hires.
Rafa é formando em Cinema e também atua como crítico de cinema.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!