[RESENHA] Sol da Meia-Noite - Stephenie Meyer - Editora Intrínseca

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

 

Sol da Meia-Noite
Editora: Intrínseca
Páginas: 770


Um dos maiores fenômenos editoriais dos últimos tempos, a saga Crepúsculo narra a icônica história de amor de Bella Swan, uma garota tímida e desastrada, que acaba de mudar de cidade, e Edward Cullen, um rapaz misterioso que esconde um segredo aterrorizante: é um vampiro. Desde a primeira troca de olhares, ele fez tudo para ficar longe dela, mas e se as coisas não tiverem acontecido exatamente assim?

Até agora, os leitores conheceram essa trama inesquecível apenas pelos olhos de Bella. No aguardado Sol da meia-noite, vamos testemunhar o nascimento desse amor pelo olhar de Edward, mergulhando em um universo novo, sombrio e surpreendente, cheio de revelações.

Conhecer Bella foi o que aconteceu de mais irritante e instigante em todos os anos de Edward como vampiro. À medida que conhecemos detalhes sobre seu passado e a complexidade de seus pensamentos, conseguimos entender por que Bella se tornou o eixo central de uma batalha decisiva em sua vida. Como Edward poderia seguir seu coração se isso significava colocar a amada em perigo? Do que ele seria capaz de abrir mão?

Em Sol da meia-noite, Stephenie Meyer faz um retorno triunfal ao universo de Crepúsculo e nos transporta mais uma vez para Forks, convidando-nos a revisitar cada detalhe dessa história que conquistou milhões de fãs em todo o mundo. Em meio a uma paixão cercada de perigos sobrenaturais, vamos descobrir como Edward encara seus prazeres mais profundos e as consequências devastadoras de um amor proibido e imortal.


Olá pessoal, hoje retornamos a Forks, depois de anos de espera e vamos saber o quê, exatamente, se passava na cabeça de Edward, enquanto ele ia se aproximando de Bella, mesmo que todos os seus instintos o orientasse a se manter longe.

A verdade é que, este reencontro nos leva a uma viagem nostálgica por nossas memorias afetivas. Apesar de muita gente hoje em dia, cuspir no prato que comeu, eu guardo ótimas recordações de Crepúsculo e poder ler tudo o que se passava na mente complexa de um dos personagens mais amados da série, valeu e muito.

O livro começa em um ponto crucial da história, o que pode ser visto como uma vantagem por ser uma cena icônica e estar na memória das pessoas, mas a mim pessoalmente, eu queria ver o antes, o como ele reagia aos pensamentos de todos sobre a nova garota, sobre todas as possibilidades que fantasiavam sobre ela, até culminar no primeiro encontro. Apesar dele se recordar desses momentos, não é a mesma coisa.
E estar nos pensamentos de Edward é fascinante e frustrante ao mesmo tempo. Fascinante por nos conduzir a pontos de vista e atitudes que até então só pudemos deduzir, e agora estávamos ali, no mesmo embate com ele. E frustrante porque, cada divagação mental dele era imensa e esse acabou por ser o ponto de atenção do livro. 

O que mais queríamos era entender o fascínio e sua paixão pela humana desajeitada, que não tinha nada a oferecer, vemos isso e muito mais de sua mente conturbada e em auto conflito que acabou por mascarar tudo de bom que veio disso. A autora excedeu, e muito, em alguns pensamentos.

Rever a família Cullen e os Quileutes, mesmo que não na quantidade que eu esperava, foi realmente reconfortante. Ter a certeza da bondade e resiliência de Carlisle e Esme, perceber que Jacob é aquilo ali, sem milícias e sem segundas intenções, trouxe de volta a dúvida: team Jacob ou team Edward. Mentira, isso está bem claro. Pelo menos eu acho. (Risos)

A verdade é que este é um livro para fãs, se você desistiu da série não recomendo, você não encontrará nada novo e nem nada do que achou que faltava. Agora se você ainda é uma pessoa entusiasta da série, respira fundo porque Stephenie pode ter exagerado sim, nas divagações, mas ela nos entregou tudo o que esperamos por tantos anos.

Resenha por Anastácia Cabo

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!