[RESENHA] FATE: A Saga Winx

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

 

Fate: A Winx Saga é uma série de televisão de drama e fantasia, baseada na série animada Winx Club, criada por Iginio Straffi. Produzida pelo estúdio Rainbow, que é co-propriedade de Straffi e Viacom.

Os alunos e professores da Alfea lutam para sobreviver, e a verdade sobre Bloom é revelada. Será que ela pode derrotar os Queimados ou o mal vai vencer a magia?

Estreando na Netflix nesta sexta 22/01/2020, esta primeira temporada conta com 6 episódios de aproximadamente 50 min cada e realmente não há como os expectadores irem querendo comparar essa trama com a animação que boa parte cresceu assistindo.

Fate: A Saga Winx é um drama adolescente com aquela forma enlatada com a qual já estamos mais do que acostumados. A garota nova com poderes que não entende, sendo a maior mala enquanto tenta descobrir sua origem e resolver suas crises existenciais, enquanto faz amigas para toda a vida.


Bom, tirando a Bloom que achei bem, mas beeemmm mala e a Beatrix que também era a encarnação da falsiane, criada pelo cramulhão e só não via que ela estava de tretas escusas quem não queria, gostei bastante da dinâmica da escola. Esse ambiente high school misturado com elementos fantásticos me trouxe aquele saudosismo bom de leituras como Vampire Academy, Acampamento Shadow Falls, dentre outras.

O último episódio trouxe mais emoção ao público, onde "vilões" são realmente revelados, mas suas intenções ainda nem um pouco claras, assim como ocorreu no decorrer de HP, deixando tanto os alunos, quanto nós bem confusos sobre o que realmente está acontecendo na estrutura hierárquica da escola, assim como, qual o lado realmente pode estar com a razão.


Então, embora a série não tenha trazido nada de novo, tenho certeza que todas nós que amamos um draminha adolescente bem levinho, vão acabar se distraindo umas horinhas e curtindo essa primeira temporada de Fate: A Saga Winx.



4 comentários

  1. Oi Scheila, tudo bem?
    Eu gostava muito do desenho quando era criança, e lembro de ter infernizado minha mãe para comprar um caderno escolar todo desenhado das Winx kkk
    Vou dar uma conferida na série. E que pena que a Bloom parece chata na adaptação.
    Beijos

    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha filha mais velha também tinha vários cadernos, revistinhas e adorava a animação.

      Excluir
  2. Primeiro, minha opinião.
    Adaptação é bem interessante, parece um Percy Jackson misturado com shadow Hunters, como vc disse, mas o que acontece é que transformaram a série de fadinhas com poderes e seus romances adolescente, num bando de adolescentes alcoólatras maconheiros. A série é cheia de palavrões em excesso, nem se fala da apologia constante en relação sonido de drogas ( ja qué maconha ainda é uma droga ilegal). Pra mim, a série é interessante, mas esses detalhes do uso alto de drogas, me deixou chateado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também achei isso, até porque, parece tudo isso foi colocado exatamente porque é a fórmula enlatada de séries adolescentes americanas, onde toda a rebeldia está somente relacionada a sexo e drogas. A série não é ruim, mas eles tinham uma ótima oportunidade de fugir dos estereótipos e no fim acabaram amarrados à todos eles!

      Excluir

Deixe seu Comentário!