[Resenha] Lara Dean Vive Terminando Comigo - Mariko Tamaki e Rosemary Valero-O’Connell - Editora Intrínseca

segunda-feira, 5 de abril de 2021

 

Laura Dean
Vive terminando Comigo
Autores: Mariko Tamaki & Rosemary Valero-O'Connell
Editora: Intrínseca
Páginas: 304

Faz quase um ano que Freddy está apaixonada por uma menina chamada Laura Dean. Mas ela não imaginava que um namoro poderia ser tão complicado…

Freddy Riley só quer que Laura Dean pare de terminar com ela. O dia em que começaram a namorar foi o melhor de sua vida, mas agora parece apenas uma lembrança distante. Laura Dean é popular, engraçada e MUITO LINDA… mas também pode ser insensível e bem cruel. O relacionamento cheio de idas e vindas deixa Freddy desnorteada, e seus amigos não entendem por que ela sempre aceita reatar. A situação se mostra cada vez mais insustentável: o coração de Freddy está se despedaçando em câmera lenta, e ela corre o risco de perder a melhor amiga junto com o que resta de sua autoestima. Mas, quando Freddy se consulta com uma misteriosa vidente, recebe um conselho capaz de mudar essa história para sempre.

As premiadas Mariko Tamaki e Rosemary Valero-O’Connell dão vida a uma narrativa delicada e pungente sobre o amor na adolescência, nos convidando a imaginar o que acontece quando deixamos para trás os relacionamentos tóxicos e abrimos espaço para relações que nos fortalecem. Laura Dean vive terminando comigo venceu três Eisner Awards, maior prêmio do universo dos quadrinhos, nas categorias Melhor Roteirista, Melhor Artista e Melhor Publicação Para Adolescentes.


Relacionamentos. Devido à complexidade do ser humano, sempre será difícil começar uma relação e perdurar a mesma.
Haverá momentos de conflito, tensão e até ciúme. Mesmo as partes tentando não explicitar as coisas, é possível notar que nem tudo vai bem.
Porém, as coisas não são fáceis quando são aquelas relações que terminam e voltam várias vezes. E é isso que ocorre em Laura Dean Vive Terminando Comigo.
Frederica “Freddy” Riley é uma colegial que está em um relacionamento de idas e vindas com Laura Dean.
O mais recente término da relação começa no início do livro quando Freddy pega Laura beijando outra menina escondida.

Laura Dean é tida como a garota mais popular do colégio. Enquanto se concentra em uma maneira de evitar um novo rompimento, Freddy inadvertidamente se distancia de seu círculo social, que inclui Buddy, Eric e sua melhor amiga Doodle, negligenciando repetidamente sua amizade com eles.

Aflita com as lutas de seu relacionamento, Freddy busca respostas para o motivo de Laura continuar terminando com ela.
Freddy recebe conselhos sobre relacionamento de uma médium local recomendado a ela por Doodle, de Vi, uma paixão potencial dela, e de Anna Vice, uma colunista de conselhos de relacionamento.

O livro aborda algo muito discutido atualmente: relacionamentos tóxicos. Porém, o twist agora é usando um casal LGBTQIA+, algo não muito explorado, tanto que a temática de descoberta da sexualidade foi abordada em um cem número de publicações, até bem recentes.

Já virou rotina falar de casais hétero onde o homem exerce dominância na relação e a mulher a submissa, porém dessa vez, ver uma mulher sendo tratada como menos importante por outra mulher, já abre um leque de discussões que irão ser pautadas no futuro, desde falta de sororidade (união/aliança entre mulheres baseada companheirismo e na empatia feminino) até mesmo repetição dos valores que atualmente se discutem em relacionamentos tóxicos heterossexuais como abandono afetivo, submissão, etc.

Apesar dos amigos de Freddy aceitarem seu relacionamento com Laura, todos, principalmente Doodle sentem pena, pois ela é sempre descartada e só é interessante quando Laura quer.

Mas a passividade de Freddy realmente deixa qualquer um irritado. Em um dado momento, Doodle precisa de ajuda e Freddy acaba cedendo aos pedidos de Laura, até mesmo se prejudicando no processo.

Não digo que a culpa é dela, mas tem uma hora que dá vontade de gritar e dizer que a tal Laura nunca mereceu a Freddy. A sofrência de Freddy é muito palpável, não apenas pelo texto, mas a arte de Rosemary Valero O’Connnell ajuda a dar os tons tristes e os alegres.
A cor mais importante é o rosa. Sejam os tons de rosa mais claros ou levemente mais fortes, eles sempre estão em algum quadro do quadrinho.

O texto de Mariko Tamaki é adiado e sagaz. Mesmo parecendo em dado momento que a narrativa parece cair o ritmo, logo volta a acelerar.

Laura Dean Vive Terminando Comigo é um quadrinho importante no atual momento, onde se discute relacionamentos tóxicos. Se haverá esse tipo de trama envolvendo LGBTQIA+ no futuro, acho que esse já é o primeiro passo para começar a discutir. Sensível e bem cadenciado, não faz feio e vale muito a pena dar uma conferida.







Essa resenha é cortesia do nosso novo colunista especialista em HQs Rafael Da Fonte de Hires.
Rafa é formando em Cinema e também atua como crítico de cinema.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!