[Resenha] Será que isso presta? - Jerry Seinfeld - Intrínseca

sexta-feira, 23 de julho de 2021

 

Será que isso presta?
Autor: Jerry Seinfeld
Editora: Intrínseca
Páginas: 480

Jerry Seinfeld revisita suas quase cinco décadas na comédia stand-up e oferece em livro uma seleção com os melhores textos de sua carreira

Quando criam algum material novo, todos os comediantes perguntam a mesma coisa entre si antes de mostrá-lo ao público: “Será que isso presta?”

Jerry Seinfeld vem fazendo essa pergunta desde os 21 anos, quando chegou pela primeira vez ao Catch a Rising Star, templo da comédia stand-up de Nova York, durante uma noite de testes em 1975.

Desde então, Seinfeld se tornou não apenas uma referência mundial no stand-up, mas o criador do seriado que leva o seu nome, considerado por muitos a melhor comédia já feita para a televisão. A vida o conduziu também para outros projetos, e hoje ele comanda um divertido programa de entrevistas com outros comediantes famosos. Mas, no fim das contas, o destino sempre arranjou um jeito de fazê-lo voltar aos palcos, de cara limpa, com um microfone na mão e uma plateia de desconhecidos. “A razão de ser do stand-up é a busca de um momento fugaz de conexão humana”, revela Seinfeld sobre a sua maior paixão.

Será que isso presta? é um compilado monumental da produção de Seinfeld em suas cinco décadas de dedicação ao stand-up. Em diversos aspectos, é também uma autobiografia contada por meio de suas piadas, uma tirada genial após a outra. Uma obra definitiva para todo mundo que aprecia a linguagem universal do humor.



Jerry Seinfeld. Mesmo que você ainda não tenha visto nem sequer a série que ele produz para a Netflix Comedians In Car Getting Coffee (2012-), nem sequer Seinfeld (1989-1998), acho que vale a pena você conhecer um pouco da carreira do comediante.

Jerome “Jerry” Alan Seinfeld nasceu no Brooklyn, em 1986 (mentira, foi em 29 de abril de 1954). Ele começou sua carreira de comediante em clubes de stand-up e logo foi ganhando a atenção do público, visto que seus textos (sempre escritos por ele) eram simples, mas bem observadores.

Desenvolveu um interesse em comédia stand-up após breves passagens em produções universitárias. Seinfeld apareceu em noites de microfone aberto no Improv Club de Budd Friedman enquanto estudava no Queens College.
Após a formatura em 1976, foi fazer um teste em uma noite de microfone aberto no Catch a Rising Star de Nova York, que o levou a uma aparição num especial de Rodney Dangerfield na HBO.

Em 1980, ele teve um pequeno papel recorrente na sitcom Benson, interpretando Frankie, um entregador de cartas que tinha rotinas de comédia que ninguém queria ouvir. Seinfeld foi demitido abruptamente do programa devido a diferenças criativas. Seinfeld disse que não foi informado de que havia sido demitido até aparecer para a sessão de leitura de um episódio e descobriu que não havia nenhum script para ele.
Em maio de 1981, Seinfeld fez uma aparição de sucesso no The Tonight Show, estrelado por Johnny Carson, impressionando Carson e o público e levando a freqüentes aparições naquele programa e em outros, incluindo Late Night with David Letterman.

Em 5 de setembro de 1987, seu primeiro especial de uma hora chamado Stand-Up Confidential, foi ao ar ao vivo na HBO. Ele criou The Seinfeld Chronicles com Larry David em 1988 para a NBC. O programa foi posteriormente renomeado Seinfeld para evitar confusão com a sitcom adolescente de curta duração The Marshall Chronicles.

Em sua terceira temporada, tornou-se a sitcom mais assistida da televisão americana. O episódio final foi ao ar em 1998, e o show foi uma reprise popular.
Junto de Jerry, o show estrelou a veterana do Saturday Night Live Julia Louis-Dreyfus e os atores experientes Michael Richards e Jason Alexander. Alexander interpretou George, uma caricatura de Larry David.

Jerry é o único ator a aparecer em todos os episódios do show.
Ele disse que seu show foi influenciado pela sitcom de 1950 The Abbott and Costello Show.
No conjunto de DVD da sexta temporada, comentando sobre o episódio "The Gymnast", Seinfeld citou Jean Shepherd como uma influência, dizendo: "Ele realmente formou toda a minha sensibilidade cômica - aprendi a fazer comédia com Jean Shepherd."

Depois de encerrar o programa, Jerry voltou a Nova York para fazer um retorno ao stand-up, em vez de ficar em Los Angeles e continuar sua carreira de ator.
Em 1998, ele saiu em turnê e gravou um especial de comédia intitulado I'm Telling You for the Last Time.
O processo de desenvolvimento e apresentação de novo material em clubes ao redor do mundo foi narrado em um documentário de 2002, Comedian, que também contou com o colega cômico Orny Adams e foi dirigido por Christian Charles.

Seinfeld escreveu vários livros, principalmente arquivos de rotinas anteriores.
No final dos anos 1990, a Apple Computer surgiu com o slogan publicitário "Pense
diferente" e produziu um comercial de 60 segundos para promover o slogan.
Este comercial mostrou pessoas que eram capazes de "pensar de forma diferente", como Albert Einstein, Mahatma Gandhi, Martin Luther King Jr. e muitos outros.

Posteriormente, foi encurtado para 30 segundos e alterado de forma que Seinfeld fosse incluído no final, embora ele não estivesse no corte original.
Esta versão mais curta do comercial foi ao ar apenas uma vez, durante o final da série de Seinfeld.

Em 2004, Seinfeld apareceu em dois webisodes comerciais promovendo a American Express, intitulados The Adventures of Seinfeld & Superman.
Neles, Seinfeld apareceu com uma representação em quadrinhos do Superman, a quem foi feita referência em vários episódios de Seinfeld como o herói de Seinfeld, dublado por Patrick Warburton (o personagem David Puddy em Seinfeld). Os webisódios foram dirigidos por Barry Levinson e exibidos brevemente na televisão.

Dentre outras inúmeras coisas, Seinfeld fez uma turnê pelos EUA em 2011 e fez sua primeira aparição em pé no Reino Unido em 11 anos. Em julho de 2011, ele foi um convidado surpresa no The Daily Show, ajudando Jon Stewart a suprimir sua vontade de contar piadas "baratas" do tipo "o marido de Michele Bachmann age como gay".
Ele também lançou um site de arquivos pessoais em JerrySeinfeld.com e apareceu no especial da HBO Talking Funny com os colegas comediantes Chris Rock, Louis CK e Ricky Gervais no mesmo ano, que foi onde surgiu a primeira documentação de Seinfeld dizendo a palavra que inventou: "Chaash".

Em 19 de setembro, a Netflix lançou o especial de comédia stand-up Jerry Before Seinfeld. O especial acompanha o comediante enquanto ele retorna para uma rotina de stand-up no clube de comédia de Nova York, Comic Strip Live, que iniciou sua carreira.
O especial é intercalado com clipes de documentário e seu especial de stand-up. O especial foi lançado como um álbum e indicado ao Grammy de 2018 de Melhor Álbum de Comédia.
Em 2020, foi anunciado que a Netflix lançaria o primeiro stand-up especial original de
Seinfeld em 22 anos, intitulado 23 Hours to Kill. O especial estreou no serviço de streaming em 5 de maio Em outubro, Seinfeld se juntou a Steve Martin em uma discussão sobre comédia no The New Yorker Festival. Eles discutiram assuntos que vão desde o processo criativo, Netflix e o Oscar, até seus antecedentes de comédia e o futuro da comédia durante a pandemia.

Em um movimento atípico, Letterman convidou Sharon Osbourne para auxiliar na
arbitragem no episódio de 26 de julho de 2007, devido ao seu envolvimento com America's Got Talent.

O livro consiste em ser de piadas. Você já deve até ter visto livros de piadas por aí. Mas não pense que é apenas isso. Mesmo que tenha várias piadas, a gente consegue de certa forma entender a mente de Seinfeld.
Serve como uma espécie de autobiografia não intencional (ou foi intencional, vai saber.) e que ajuda a ter uma espécie de insight sobre o tipo de humor que ele curte.
Você pode achar que o livro não merece sua atenção, mas acho que você não o deveria julgar antes de ler. Admito que algumas das piadas não tem graça, porém existem duas que eu curti muito: a do segurança de arte e a da loja de pianos.

Eu não vou colocar tais trechos, pois estaria estragando a graça de você descobrir tais piadas por si próprio.
Será Que Isso Presta? é uma bela forma de Seinfeld falar um pouco de seu passado e revisitar tudo aquilo que o transformou num dos ícones do humor americano.








Essa resenha é cortesia do nosso novo colunista especialista em HQs Rafael Da Fonte de Hires.
Rafa é formando em Cinema e também atua como crítico de cinema.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!