[RESENHA] O DESTINO DAS TERRAS ALTAS (OS MURRAYS #1) - HANNAH HOWELL

quarta-feira, 29 de setembro de 2021



TÍTULO ORIGINAL: HIGHLAND DESTINY
TRADUÇÃO: THAÍS PAIVA
NÚMERO DE PÁGINAS: 272

SINOPSE: PRIMEIRO VOLUME DA SÉRIE OS MURRAYS.

Com Hannah Howell, a Editora Arqueiro inaugura a primeira série medieval da coleção de Romances de Época.

Em O destino das Terras Altas, primeiro livro da série Os Murrays, Hannah Howell nos apresenta o esplendor da Escócia medieval com uma saga de guerra entre clãs, lealdades divididas e amor proibido.

Quando o destino coloca Maldie Kirkcaldy na mesma estrada que sir Balfour Murray e seu irmão ferido, ela lhes oferece seus serviços como curandeira. Ao saber que tem em comum com sir Balfour um juramento de vingança, decide seguir com ele para cumprir a sua missão.

Mas ela não pode lhe revelar sua verdadeira identidade, sob o risco de ser acusada como espiã. Enquanto luta para negar o desejo que a dominou assim que viu o belo cavaleiro de olhos negros pela primeira vez, Maldie tenta a todo custo conservar o aliado.

Balfour, por sua vez, sabe que não pode confiar nela, mas também não consegue ignorar a atração que nasceu entre os dois. E, ao mesmo tempo que persegue seu objetivo de destruir Beaton de Dubhlinn, promete descobrir os segredos mais profundos de Maldie e conquistar o seu amor. Para isso, não deixará que nada se interponha em seu caminho.

 

RESENHA...

Vocês não fazem ideia da imensa felicidade quando a Editora Arqueiro anunciou a publicação dos três primeiros livros da série Terras Altas da autora Hannah Howell.

Li alguns livros dessa série composta por 22 livros em formato de banca da


falecida Nova Cultural, no Brasil foram publicados em torno de 16 livros, mas as leitoras de banca sabiam que os livros chegavam com cortes que deixavam as histórias incompletas. Então imagina o prazer em vê-los com essas capas lindas, com uma boa tradução e a história completa.

Este primeiro livro da série foi publicado com o título, Destinos ao Vento em 2006 (como podem ver uma capa sofrível...), mas sua publicação lá fora foi em 1998. E talvez por ser um livro mais antigo, algumas leitoras atuais poderão estranhar um pouco a construção da narrativa.

Outro ponto está relacionado ao gênero de romance de época medieval, para quem estava acostumada a ambientação na Inglaterra regencial, com bailes, homens elegantes e mulheres delicadas com seus melhores vestidos, já no medieval, e no caso da Hannah Howell, as mulheres são fortes e o homens mais brutos.

E esse estilo de perfil dos personagens se deve ao fato das várias disputas territoriais entre os clãs que aconteciam naquela época. E o livro Destino das Terras Altas se ambienta nesse período, no ano de 1430  e a narrativa  começa com o sequestro de Eric Murray pelo clã Beaton, o líder William Beaton teve vários filhos bastardos e todos mulheres, e o único filho legitimo foi Eric, mas por duvidar de sua legitimidade, ele abandona a criança e mata a mãe, mas o clã Murray o acaba criando.

Balfour Murray juntamente com seu clã na tentativa de resgatá-lo eles acabam perdendo a batalha e seu irmão, Nigel fica ferido. E no caminho de volta ele encontra Maldie Kirkcaldy.

Maldie está sozinha no mundo após perder a mãe, e no leito de morte promete vingança contra William Beaton (o homem não é muito popular), já que ela é uma das filhas bastardas dele. Porém no meio do caminho encontra o clã Murray e por ter dotes de curandeira ajuda Nigel e acaba os acompanhando até a propriedade dos Murray.


Balfour, líder forte, bonito e sempre conquista a mulher que desejada, mas possuiu uma insegurança nos seus relacionamentos afetivos, pois quase sempre as mulheres preferem o belo irmão, Nigel. Enquanto Maldie devido sua vida sofrida, se tornou uma mulher destemida, corajosa e determinada. Essa combinação será explosiva.

Porém os segredos de Maldie poderá desestabilizar a relação, apesar dela e Balfour terem uma revanche com a mesma pessoa. Mas ela fica receosa em revelar sua verdadeira identidade e objetivos, principalmente no momento que relação entre ela e o líder do clã Murray está dando certo.

Mas aparece um traidor no castelo, que anda revelando segredos do clã Murray para os Beaton, e a desconfiança do inseguro Balfour recaí sobre a única nova moradora do castelo.

E a paixão existente se torna mágoa profunda, será que a descoberta da verdade poderá reaproximar o casal?? E enquanto toda essa transformação acontece, Eric continua nas garras do abominável Willian Beaton.

Sou muito suspeita para falar sobre Hannah Howell, já que sou uma leitora apaixonada pela escrita da autora. Já li quase todos os de banca, e todos que saíram no Brasil da série da família Wherlocke (série das fitinhas).

Talvez o estilo de escrita da autora, ou melhor, a construção de sua narrativa para leitoras atuais pode ficar um pouco estranha. Até porque esse livro faz 23 anos, então muitas novas autoras apareceram com outros estilos de narrativa.

Além disso, no caso das leitoras acostumadas com o catálogo da Arqueiro, que até o momento publicou livros do gênero regencial, pode acontecer uma dificuldade de adaptação nas narrativas de romances medievais.

Para quem está perguntando se a editora irá publicar todos os livros da série, creio que não... mas mesmo assim não há nenhum problema em ler esses três livros, já que fecham um ciclo, pois são os patriarcas da família, e os próximos serão dos seus filhos, netos ou parentes por casamento.

Hannah Howell é uma das mais talentosas autoras do gênero medieval, suas protagonistas femininas são verdadeiras heroínas que superam as adversidades sem perder a feminilidade, enquanto os seus heroicos homens são brutos, porém românticos e protetores. Impossível não viajar pela Escócia medieval através da escrita da Hannah e não ser arrebatada por ela



0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!