[RESENHA] A HONRA DAS TERRAS ALTAS (OS MURRAYS 2) - HANNAH HOWELL

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021


TÍTULO ORIGINAL: HIGHLAND HONOR
TRADUÇÃO: LIVIA DE ALMEIDA
FORMATO: 16 X 23 CM
NÚMERO DE PÁGINAS: 272

SINOPSE: SEGUNDO VOLUME DA SÉRIE OS MURRAYS.

A honra das Terras Altas nos conduz pelas luxuriantes belezas naturais da França e da Escócia do século XV enquanto um corajoso cavaleiro coloca a própria segurança em risco para salvar uma misteriosa desconhecida.

Há sete anos atuando como mercenário na França, sir Nigel Murray se entrega cada vez mais a uma rotina perigosa de bebida, mulheres e batalhas. Mas uma jovem fugitiva vai causar uma verdadeira reviravolta em sua vida.

Disfarçada de homem, Gisele DeVeau precisa escapar a qualquer custo dos capangas da família de seu falecido marido – um sujeito brutal que cometeu toda espécie de violência contra ela antes de ser encontrado morto em circunstâncias suspeitas. Todos acham que ela o matou.

Ao cruzar o caminho de Nigel, ele promete protegê-la e levá-la em segurança para sua propriedade na Escócia. Nessa fuga implacável, com hordas de inimigos em seu encalço, a única coisa que os dois não esperavam era ter que enfrentar também a paixão avassaladora que nasce entre eles.

Nesta história repleta de sensualidade, a lealdade de um guerreiro e a determinação de uma jovem serão postos à prova enquanto eles lutam pela sobrevivência e tentam vencer os traumas do passado para viver um grande amor.

 

RESENHA...

Sete anos se passaram após os acontecimentos do primeiro livro e nos reencontramos com Nigel, o irmão interessante de sir Balfour Murray (protagonista do primeiro livro).

O Nigel Murray no primeiro livro nos dava a imagem de um homem sedutor e atraente que conquistava a mulher que desejasse, porém nem todas, e talvez a única que ele sentiu algum sentimento era inalcançável para ele, e devido esse revés decidiu ser mercenário na França bem longe da Escócia.

Durante esses anos Nigel viveu de batalhas sangrentas, bebedeiras e mulheres, mas um dia ele decidiu que precisava encarar a realidade e voltar para casa e se conformar que a mulher desejada, era casada e apaixonada pelo seu irmão Balfour.

Mas logo no início da sua jornada para retornar a Escócia, o destino colocou Gisele DeVeau em seu caminho.

Gisele estava fugindo da família do seu marido que a acusam de tê-lo assassinado. Devido a essas suspeitas, poucos parentes dela aceitaram ajudá-la, e os poucos que amparavam estavam planejando a fuga dela para outro país até ela conseguir provar sua suposta inocência.

Nigel com misto instinto protetor e atração por Gisele decide ajudá-la e oferece seu lar na Escócia para refugia-la. Mesmo desconfiando da inocência de Gisele, até porque não julgaria se ela tivesse cometido o crime, devido o tratamento doentio que o marido a tratava durante o casamento.

Nessa longa jornada, cheia da desafios, lutas e fugas dos seus perseguidores, Nigel e Gisele desenvolvem sentimentos e acabam criando uma conexão, mas será que quando eles chegarem na Escócia e ela se confrontar com a realidade que Nigel escondeu durante sua trajetória, essa relação poderá se fragilizar e Nigel terá que encarar seus reais sentimentos.

Diferente do primeiro livro, todo o desenrolar da história ocorre durante essa viagem da França e Escócia, é um estilo interessante que além de ficar mais dinâmica, todos os obstáculos e futuros problemas, instigam o leitor a se interessar pela próxima página...

Juntamente com ambientação diferenciada tem as características interessantes dos personagens, ambos são fortes e destemidos. Gisele consegue ir da delicadeza a rudeza, já que a violência física no qual ela foi submetida durante o casamento fortaleceu a sua coragem. E ao encontrar em Nigel um homem sedutor, atencioso e gentil a fez ter esperanças no amor.

Diferente do primeiro, achei esse segundo a interação dos personagens com um toque mais sensual, desde os diálogos mais espirituosos e provocativos dos personagens, até as cenas mais intensas, mas românticas.

Um livro que trata da reconstrução de duas pessoas descrentes em amar de novo e de curar os traumas de suas vidas.

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!