[RESENHA] ESPLÊNDIDA (DAMAS REBELDES #1) – JULIA QUINN

sexta-feira, 17 de junho de 2022

 TÍTULO ORIGINAL: SPLENDID

TRADUÇÃO: ANA RODRIGUES
FORMATO: 16 X 23 CM
NÚMERO DE PÁGINAS: 336

SINOPSE: “Um livro leve e de narrativa ágil, com um delicioso toque de humor.” –RT Book Reviews

Esplêndida é o romance de estreia de Julia Quinn e inaugura a trilogia Damas Rebeldes.

Consagrada autora da série Os Bridgertons, que se tornou um verdadeiro fenômeno de audiência na Netflix, Julia Quinn já vendeu mais de 2 milhões de livros no Brasil e 15 milhões no mundo. 

 Existem duas coisas que todos sabem sobre Alexander Ridgely. A primeira é que ele é o duque de Ashbourne. E a segunda, que é um solteiro convicto.

Isso até uma linda jovem se jogar na frente de uma carruagem para salvar a vida do sobrinho dele. Ela é tudo que Alex nunca pensou que desejaria em uma mulher: inteligente e engraçada, cheia de princípios e corajosa. Mas é uma criada, inadequada para um nobre. A menos que, talvez, ela não seja bem o que parece...

A herdeira americana Emma Dunster pode estar cercada por ingleses, mas isso não significa que pretenda se casar com um, mesmo tendo concordado em participar de uma temporada em Londres.

Quando ela sai da casa dos primos vestida como criada, só quer um último gostinho de anonimato antes de ser apresentada à sociedade. Em vez disso, vai parar nos braços de um duque perigosamente lindo. Em pouco tempo, fica claro para Emma que o amor floresce quando menos se espera e é capaz de derreter até o mais teimoso dos corações.

Resenha...

O primeiro livro escrito por Julia Quinn se transformou na famosa série SPLENDID, conhecida no Brasil como Damas Rebeldes publicada pela Editora Arqueiro.

O primeiro livro, Esplêndida – A História de Emma, traz como protagonista Emma Dunster, uma jovem solteira americana que tem como objetivo de vida gerenciar o estaleiro que pertence a família e o casamento está fora de sua lista de prioridades.

Porém o pai tem outros planos, e por isso ela acaba em Londres com a irmã do seu pai, Caroline, Condessa Worth, para ser apresentada a sociedade, não que ela desgoste de passar um tempo com seus primos, quase irmãos, Arabella e Ned Blydon, mas ela teme que o pai a esteja afastando do seu sonho de administrar a empresa de Boston.

E a temporada que tem tudo para ser tediosa, poderá se tornar interessante para Emma.

Fugindo dos preparativos da sua apresentação para sociedade, ela se envolve em um acidente ao tentar salvar uma criança de ser atropelada por uma carruagem. E esse ato heroico é reconhecido pela mãe da criança, a condessa de Wilding e o tio, duque de Ashbourne.

Alexander Ridgely, duque de Ashbourne, um solteirão convicto e com fama de libertino, fica surpreso com a coragem da moça, que se apresenta como Meg, e diz ser empregada de um dos nobres. Encantado também pela beleza da moça, sente-se atraído por ela, porém impossível a relação devida supostamente a diferença social...

Porém ele preocupado com as condições de saúde da moça, ou melhor com essa desculpa, ele irá frequentar o baile da casa do nobre em questão, o Conde de Worth, e terá uma grande surpresa.

Nem preciso dizer que Emma terá problemas, principalmente porque o duque de Ashbourne consegue ser bastante diabólico, principalmente devido as emoções envolvidas, se sentir enganado e ao mesmo tempo muito atraído.

Começa aí uma relação gato e rato, diálogos cheios de implicâncias e um clima sensual envolvido, ao mesmo tempo irá crescer uma grande amizade, pois ambos combinam em algo, são avessos a casamento, será???

Alexander Ridgely, é um personagem bastante sedutor e com um humor mordaz, enquanto Emma é audaciosa, autêntica e perspicaz, fazendo o casal uma combinação bem explosiva em alguns momentos. Porém a desconfiança que ele tem em relação as mulheres, por imaginar que todas tem interesse na sua posição social, pode prejudicar sua relação com Emma.

Enquanto Emma não quer perder sua liberdade ou se envolver com alguém, o que distanciará ainda mais do seu sonho de administrar a empresa da família. E com todos esses dilemas teremos um casal cativante e apaixonante.

Eu realmente gosto muito dos livros iniciais da Julia Quinn, talvez porque esses personagens apareceram ou foram citados na série Bridgertons, o que despertou minha curiosidade por suas respectivas histórias.

Resenho este primeiro livro, porém já li a série toda e realmente todos os elogios a ela foram comprovados durante as leituras.

 

Curiosidades:

- O primeiro volume, Esplêndida – A História de Emma (Splendid), em seguida por Brilhante – A História de Belle (Dancing at Midnight) e, Indomável – A História de Henry (Minx). E tem um conto na antologia, O Herói que faltava (Where’s my Hero) com as autoras Lisa Kleypas e Kinley MacGregor, que também já saiu no Brasil. E no conto da Julia Quinn, o protagonista é Ned Blydon (Visconde de Berwick). O personagem já foi mencionado no quarto capítulo do livro Os Segredos de Colin Bridgerton (Os Bridgertons #4);

- O protagonista Duque de Ashbourne, também foi mencionado em Mais lindo que a lua (Irmãs Lyndon #1), na página 260, e em História de um Grande Amor (Trilogia Bevelstoke #1) nas páginas 130/132. E em Um Perfeito Cavalheiro (Os Bridgertons #3) no capítulo 18.

- A personagem Arabella Blyndon (prima de Emma e protagonista do segundo livro da série Damas Rebeldes) foi mencionada na página 5 do livro Os Segredos de Colin Bridgerton (Os Bridgertons #4);

- E a antologia “Em Nada Escapa a Lady Whistledown, é mencionado o baile de Lady Worth (mãe de Arabella), onde ocorreu a apresentação de Emma;


0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!