[Crítica] Agente Oculto - Netflix

domingo, 24 de julho de 2022

 

Sinopse: O agente mais habilidoso da CIA — cuja verdadeira identidade ninguém conhece — acidentalmente descobre segredos sobre a agência, e um ex-colega perigoso oferece uma recompensa por sua cabeça. Agora, ele está sendo caçado por assassinos internacionais.

Ryan Gosling é o Agente Oculto, e Chris Evans interpreta o vilão psicopata neste suspense produzido pela Netflix em parceria com a AGBO e dirigido por Anthony e Joe Russo. No elenco, estão Ana de Armas, Regé-Jean Page, Billy Bob Thornton, Jessica Henwick, Dhanush, Wagner Moura e Alfre Woodard. Baseado no livro "The Gray Man" de Mark Greaney, o roteiro é assinado por Joe Russo, Christopher Markus e Stephen McFeely. Na produção, estão Joe Roth, Jeffery Kirschenbaum, Joe Russo, Anthony Russo, Mike Larocca e Chris Castaldi. A produção executiva conta com Patrick Newall, Christopher Markus, Stephen McFeely, Jake Aust, Angela Russo-Otstot, Geoff Haley, Zack Roth e Palak Patel.

Gênero: Suspense - Ação

Estreia: Já disponível no catálogo da Netflix Brasil


E neste final de semana o filme que bombou na casa da galera foi Agente Oculto, o filme com elenco estelar e a produção mais cara da Netflix até o momento.

Confesso que eu e as amigas divergimos muito quanto a opinião sobre este filme. 

Agente Oculto é aquele tipo de filme de ação, meio non sense e muito caricato, que entrega diversão para toda a família com situações insólitas, personagens canastrões e uma história rasa, mas que ao mesmos tempo prende a atenção principalmente por causa das mega explosões do início ao fim.

Ryan Gosling está perfeito na pele de Seis, o agente injustiçado que está lutando sozinho contra o sistema corrupto na CIA. Encarnando o exército de um homem só, Seis é imparável, (in)matável e insuportável de tão sortudo que acaba aspirando ser melhor que Chuck Norris no quesito badass! hehehehehehehe

Simplesmente adoro quando Chris Evans encarna personagens canastrões e de moral muito duvidosa, quebrando assim um pouco do estereótipo do Capitão já condicionado em nossos cérebros. E embora eu tenha perdido um pouco o meu t*são nele com aquele bigodinho bagaceiro, Chris está fantástico encarnando o psicopata Loyd e suas palhaçadas homicidas internacionais!

Mas enquanto esse roteiro caricato funcionou para quase todo o elenco, não podemos dizer o mesmo do nosso eterno Duque, Regé-Jean Page nos entrega uma atuação afetada e bem pouco convincente. Claro que o roteiro raso também contribui para terminarmos o filme com uma sensação de não entender o porque deste personagem tosco estar na trama, mas a atuação dele também contribuiu muito pouco pra dar uma melhorada neste vilão de quinta categoria.

O mesmo posso dizer do papel de Wagner Moura que fez uma pontinha questionável e bem sub aproveitada neste filme.

Bom, para quem procura um entretenimento sem muita pretensão, focado somente na ação e com muito tiro porrada e bomba, Agente Oculto é uma ótima pedida!

0 comentários

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!